5 dicas para não errar na hora de escolher o nome do pet

Era dia de sugestões para a família Silva. O menino queria Flávia Alessandra; a irmã, Lady Gaga. O marido ficou em silêncio observando a filhote de Spitz que mordia freneticamente seu pé. Aquele focinho empinado lembrava alguém. Um sorriso iluminado percorreu seu rosto no mesmo instante em que o nome da sogra saiu de sua boca: Dalva. A mulher revidou em dose dupla e sugeriu Alda Silvia, mãe e irmã do respectivo.

Após alguns dias, o marido ganhou uma adepta (“tem o nariz da vó mesmo, não é, pai?”). Parecia que o nome estava definido quando a mulher surtou. O filho, que gostava da avó nariguda, aderiu à causa da mãe. Alda Silvia até formava um nome pomposo, “mas põe só Alda, mãe. Essa bichinha é teimosa igual a vó!”. Dalvalda surgia, mas era cedo para definir.

Dar um nome ao mascote nem sempre é uma tarefa fácil, ainda mais quando não é previamente estabelecido a quem cabe a tarefa. Nesse caso, o palpite corre solto e seu bichinho pode ter duas, três, quatro formas de ser chamado antes de sair aquele som definitivo que terá tudo a ver com ele!

pet-rede-filhote-lindo-olhar

1. Não arrisque no primeiro dia

O nome pode não sair no dia, nem no mês em que se adquire um animal de estimação. Pode até ser “batizado” de imediato, mas é bom ter em mente que virão adaptações e crianças são mestras nisso. Mesquita vira Mesquinha, Barbarella passa a se chamar Barbie, Asdrubal fica Adubo e por aí segue.

2. Viva momentos especiais

Vai haver, com o passar do tempo, momentos únicos, atitudes que revelam a personalidade do mascote, cenas por ele protagonizadas que marcarão a história da família para sempre. Bisteca ganhou seu nome no dia em que roubou da mesa a referida carne; depois de roer a carteira do dono, e de se esconder debaixo do sofá, Gatuno não perdeu a fama.

3. Nomes próprios

Outra fonte bastante comum é recorrer aos nomes próprios. Tem gente que tem verdadeira fixação por alguns nomes que agora finalmente poderão ser pronunciados dentro de suas casas. Mas atenção! Brincadeiras podem custar caro. Nome do chefe no cachorro pode ser divertido até o dia em que ele descobrir. Antes de ficar chamando pelo seu pet nos corredores do prédio – e algum morador abrir a porta perguntando por que você está atrás da filha dele – é bom investigar se o nome pretendido já existe no condomínio.

cachorro-filhote-oculos-petrede

4. Nomes exclusivos

Um nome 100% do seu pet? Misturar a grafia do pessoal da casa foi a solução que Mônica e Carlos encontraram para a gata Móca; Júlio e Beatriz logo se identificaram com o poodle Jube e as irmãs Silvana e Vânia se divertem com a vira-lata Siva.

5. Homenagens

Há também quem se sinta lisonjeado. Carmem ficou feliz em saber que a gata da sobrinha, o presente mais esperado do Natal, era sua mais nova xará. É bom lembrar que perguntar não ofende.

E foi nessa onda de homenagem que se encerrou o impasse da família Silva. Esse grande aliado, o tempo, ajudou os irmãos a dar um basta na guerra dos pais que tiveram suas sogras homenageadas em pé de igualdade, dia em que Dalda foi finalmente apresentada à grande família.

1 opinião sobre “5 dicas para não errar na hora de escolher o nome do pet”

  1. Adorei a ideia de misturar os nomes dos donos pra criar nomes originais. Não gosto de bicho com nome de gente. Um ex-namorado meu tinha 3 gatos: Roberto, Claudio e Oswaldo. Era muito bizarro ver ele conversando com os gatinhos! rs

Deixe uma resposta