Cães e gatos devem fazer check-up periodicamente como prevenção

Como membros da , cães e gatos precisam estar sadios para a convivência com outros animais e também com seus donos.

Por isso, vacinar é a de que os pets estarão livres de , algumas delas transmissíveis ao homem. Mas além das , as consultas veterinárias também são importantes para manter um prontuário de dos pets, fazendo com que o veterinário identifique as necessidades do animal e facilitando diagnósticos e a constatação de .

O médico veterinário é o profissional mais preparado para identificar um problema de saúde animal e dar início a um tratamento, que, à regra, sempre que realizado no início, favorece a cura mais rápida. Segundo a veterinária Isabella Vincoletto, o ideal é que os donos de animais de estimação levem seus pets saudáveis aos consultórios veterinários pelo menos uma vez por ano, assim a dose anual das vacinas polivalentes para cães e gatos e podem ser aplicadas.

As vacinas fazem com que o organismo produza anticorpos (células de defesa) específicos contra os principais agentes que causam doenças em cães e gatos. Estando vacinados, caso os animais entrem em contato com esses agentes, os anticorpos estarão prontos para combater as doenças.

De acordo com a médica veterinária, o esquema vacinal e o tipo de vacina a ser utilizado podem variar de acordo com cada especialista. O programa deve ser iniciado nos filhotes entre 45 a 60 dias de idade, sendo os reforços feitos anualmente, durante toda a vida do pet. “As vacinas previnem doenças infecciosas nos cães como raiva e cinomose, que acometem o sistema nervoso; parvovirose e coronavirose, doenças gastrintestinais; parainfluenza e adenovirose, doenças respiratórias; hepatite infecciosa e leptospiroses, doenças sistêmicas.

Os gatos também devem ser vacinados, para a prevenção de doenças, como raiva, panleucopenia, uma doença gastroentérica, rinotraqueíte, clamidiose e calicivirose, doenças respiratórias.

Imagens: Ilustração/Divulgação/Reprodução/Internet

Comentários