Contos de vacinação

Segundo os vacinadores que trabalham nas campanhas os cachorros que mais dão medo são os menores, como vira-latas, poodles e os minúsculos chihuahuas.

Eles explicam que o dono de pequeno não segura o animal com força, as vezes com medo de machucar, criando a oportunidade certa para o bichinho dar um bote e morder.

Já donos de cães de médio e grande porte seguram com maior firmeza evitando surpresas desagradáveis.

Entre as histórias contadas estão passagens bizarras como carroceiros querendo que o seu seja vacinado, donos bêbados que ao invés de levar o cão, é o cão que estava a levá-lo, pessoas que chegam com caixas ou sacos e não param de tirar de dentro…

O fato é que em sua maioria, os vacinadores gostam do que fazem e tratam os animais com toda a dignidade possível, parabéns a todos os vacinadores!

Imagens:

Comentários

Um comentário sobre “Contos de vacinação

  1. Olá

    Contos de vacinação é o mesmo que o dito popular:Tamanho não é documento,! Os pequenos peludinhos ,para compensar o seu tamanho ,se mostram mais ferozes, e os grandes peludinhos , já se sentem no palco da vida, e assim não precisam mostrar o seu trabalho! Estes peludinhos podem ser também semelhantes a certos humanos, onde muitas das vezes notamos certos comportamentos agressivos e alterados em pessoas menores, e certos comportamentos tipo “bonachão” em pessoas de grande porte ! Fica aqui para se pensar! Achei o máximo, a sua colocação de que ,certos personagens não conduzem o seu bichinho de estimação,mas são por estes conduzidos ! Imagine , o condutor sob o efeito do álcool, e se fôsse o contrário, ou seja, o peludinho sob o efeito do alcool Será que chegariam ao local da vacinação?

    abraços

    suely bischoff machado de oliveira
    psicóloga
    atibaia

    abraços

    suely bischoff machado de oliveira
    psicóloga
    atibaia