Desidratação em animais requer cuidados especiais

Relativamente comum no mundo dos humanos, a em animais pode gerar conseqüências bastante graves para a de cães e gatos afetados, podendo, inclusive, levar o pet a quando ignorada ou não tratada de maneira correta.

É importante lembrar que, embora seja um quadro de grande pra os bichos de estimação, a desidratação não é algo que possa ser resolvido de forma simples e caseira. Ao identificar os sinais dessa complicação é preciso encaminhá-lo imediatamente para uma consulta com um profissional veterinário, eliminando as chances de piorar, ainda mais, uma situação já preocupante.

As desse problema podem ser bastante variadas. A exposição prolongada ao sol quente, pouca ingestão de líquidos, problemas renais e ocorrência de ou diarreia por tempo prolongado (em função de outras enfermidades) são alguns dos principais fatores que podem provocar o quadro, exigindo que medidas rápidas sejam tomadas para manter a saúde e a vitalidade do animal.

cao_doenteEmbora alguns animais possam sofrer com esse tipo de sem chegar a desidratar, é fundamental que, ao notar casos como os descritos acima, os donos fiquem de olho no pet para identificar os sinais mais característicos da desidratação e tomar as providências necessárias para reverter o quadro.

Entre os principais sintomas estão olhos saltados, língua seca, apatia, taquicardia, perda de peso e apetite, dificuldade em respirar e perda de elasticidade da pele. Um bom teste para checar o último item (e um dos mais comuns indicativos da desidratação) é puxar a pele do animal e observar quanto tempo ela leva para retornar à sua posição original. Caso a volta não seja imediata, isso já é sinal de que o animal precisa de ajuda.

A fluidoterapia é o mais indicado para a desidratação em cães e gatos, e deve ser iniciada assim que o quadro for identificado. Isso pode ser feito de formas diferentes (oral, intravenosa, intra-óssea e subcutânea), que vão de acordo com o estado de saúde e o nível de agressividade do animal.

Matéria validada pelo Dr. Fábio Toyota (CRMV – SP 10.687), Médico Veterinário formado pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia – Unesp e responsável pelo setor de Oncologia Médica e Cirúrgica em Hospital Veterinário de São Paulo. Dr. Toyota é integrante da equipe de veterinários do portal CachorroGato.

Imagens: Ilustração/Divulgação/Reprodução/Internet

Comentários