Dr. Pet: cuidado com “presente animal”

ale_dr_pet_estopinhaUm bichinho de estimação, que sirva de e alegre a casa. Parece um de ideal, mas nem sempre funciona. O e em animal , conhecido como , destaca que antes de tomar essa iniciativa, é preciso ter certeza que a pessoa quer um animal de estimação. E nas de , ele recomenda alguns cuidados para os animais mais sensíveis aos rojões.

Rossi recomenda cuidado: “O animal é um ser vivo. Não é um presente que se a pessoa não gostou, pode trocar ou deixar num canto. Ele requer cuidados, atenção e carinho”, explica. “Mesmo para uma criança, é uma responsabilidade muito grande. E o adulto deve estar ciente que vai ter que fazer boa parte do trabalho”, observa.

O especialista também orienta a não dar o animal se o presenteado está prestes a viajar. “A adaptação leva algum tempo e os primeiros dias são muito importantes. Por isso, prefira entregar o animal em uma sexta-feira, por exemplo, sabendo de antemão que a pessoa vai permanecer em casa no final de semana”, orienta.

Se for um presente para algum amigo, ele orienta a pessoa a estar alerta. “Tenha uma conversa franca e esteja preparado para receber o cão ou gato, por exemplo, de volta”, diz. Mesmo se o presente for de pai para filho, a recomendação é ter bastante cuidado. “Mesmo porque, no primeiro mês eles costumam dar mais trabalho”, pondera.

Festas
Outra preocupação no final de ano são os rojões. As tradicionais queimas de fogos podem causar sérios problemas aos animais, especialmente os cães, que ficam bastante estressados. O barulho provocado pelas explosões pode causar pânico nos animais, que chegam até a se machucar. Para evitar essas situações, Rossi orienta a acostumar o cão com barulho durante o ano. “Dá para ir expondo a barulhos mais baixos e ir aumentando, usando até gravações. Dessa forma, ele vai se acostumar”, aconselha.

Para quem não planejou a estratégia, ele recomenda procurar um médico veterinário que possa receitar um ansiolítico, medicamento que auxilia a diminuir a ansiedade e tensão. “Mas é preciso que ele seja administrado algum tempo antes, para que seja calculada a dosagem correta para o animal. Além disso, existe a possibilidade de um efeito paradoxal e o cão ficar ainda mais agitado”, explica.

Na hora dos fogos, o Dr. Pet recomenda manter o cachorro preso em algum lugar que ele conheça e tenha segurança. “Por isso, muitas vezes é melhor deixá-lo dentro de casa do que preso no quintal”, explica.

Imagens:
Com informações do JCNet

Comentários

3 comentários sobre “Dr. Pet: cuidado com “presente animal”

  1. oi Drº Pet, eu gostaria mt de sua ajuda se possivel,
    eu tenho um cachorrinho de 2 anos da raça Basse,eu dou banho nele
    uma vez por semana, com shampoo, lavo as cobertas dele, mas ele tem
    um odor horrivel que n sai é mt dasagradaval.
    o que eu faço? será que tem algum produto p passar nele?
    me ajude por favor, aguardo sua resposta
    atenciosamente Lucilene

  2. Olá!

    Eu e meu filho estamos muito preocupados, pois temos um cachorriho, o Fred, que já tem dois anos, é uma mistura de poodle com yorkshire ele é muito especial para nós. Mais temos um problema muito sério, ele faz xixi em todos os lugares da casa, não aguentamos mais.
    Será que poderia ter uma forma de ensiná-lo a fazer só no jornal?

    Atenciosamente

    Kátia

  3. Olá amigo, excelente artigo, realmente os cachorros ficam bastante assustados com fogos, aqui em casa quando eu tinha um cachorrinho, na hora dos fogos, eu o colocava nos braços e ficava conversando com ele. Se fosse viajar, ele ficava em casa com alguém, não o deixava só.

    Um abraço.