94 animais são encontrados na alimentação das corujas no Centro da Capital

coruja-do-celeiro – O Corujas do Centro de Porto Alegre, desenvolvido pelo Programa de de da Municipal do (Smam) entre os meses de julho a setembro de 2008, identificou a presença de 94 animais nos resíduos da das corujas, sendo 21 roedores, 62 morcegos, um marsupial, cinco aves e cinco insetos, recolhidos em dois locais próximos à da Matriz. Os dados correspondem à primeira fase da pesquisa.

“O projeto nasceu da necessidade de se explicar à a importância de cada animal na natureza. O Programa de Conservação da Fauna vinha recebendo diversas reclamações de moradores do Centro em relação ao barulho produzido pelas corujas. A -das-torres (Tyto alba) produz vocalizações em época de reprodução e cria de filhotes, mas sua presença é fundamental para o controle da proliferação de outras espécies”, explica o titular da Smam, Professor Garcia.

A estudante de Ciências Biológicas Aline Brasil, sob orientação da bióloga Giane Inquelman Niederauer, estudou os hábitos alimentares das corujas, através de análise de pelotas (regurgitos de ossos, penas, pelos e partes não digeridas pela coruja no processo digestivo). Foram obtidas 67 pelotas, que permitiam a obtenção de informações importantes a respeito da espécie no controle da população de morcegos e roedores, evitando que proliferem de forma exacerbada, causando problemas à comunidade.

A segunda fase do trabalho será a análise do material recolhido nas imediações da Igreja das Dores. A equipe do programa irá proceder atividades de conscientização junto aos moradores da região, para que desenvolvam a percepção ambiental e recebam orientações quanto a reformas de prédios históricos, já que é necessária a manutenção dos abrigos para a coruja Tyto alba.

Imagens:
Fonte: Diário de Canoas

Comentários

Um comentário sobre “94 animais são encontrados na alimentação das corujas no Centro da Capital

  1. Três Corações MG 24/05
    Hoje encontramos uma coruja de cara branca ela não está conseguindo voar,entrei em contato com a polícia do meio ambiente,mas não me deram confiança e mandaram soltá-la.O que eu faço?