0
Shares
Pinterest Google+

Essa é uma questão que desperta a curiosidade de muitos tutores. Há muitas pessoas que relatam que seu animal parece estar com cravos e espinhas na região do focinho, principalmente no queixo. E se questionam: “Acho que meu animal tem acne, isso é possível?”.

Na verdade, o que acontece, é que alguns animais desenvolvem uma piodermite na região do focinho, principalmente no queixo, que é notada pelo aparecimento de comedões, pápulas e pústulas gerando o aspecto de pele com acne. Em raças de pelo curto, como o Buldogue Inglês, o Buldogue Francês e o Boxer, a piodermite no queixo é uma ocorrência comum.

Essa piodermite é uma infecção bacteriana que pode ser induzida por trauma frequente. Animais que possuem o hábito de deitar em decúbito ventral encostando o queixo em superfícies ásperas ou que têm o costume de roçar o focinho enquanto brincam podem estar mais propensos. O atrito constante na região do queixo pode produzir irritação cutânea ou formar pequenas lesões que favorecem a proliferação de bactérias.

A pele saudável apresenta uma microbiota bacteriana normal que se mantém em equilíbrio. Ou seja, não causa danos. Entretanto, quando há algum tipo de lesão, dependendo das condições imunológicas e do manejo do animal, pode ocorrer a proliferação dessas bactérias dando origem a infecções cutâneas como a piodermite no queixo.

Outro agravante é o fato do focinho estar todo o tempo em contato com água, alimentos e saliva. A umidade e o calor também contribuem para a proliferação e perpetuação da infecção. Por esse motivo, muitos tutores se queixam de recidivas, mesmo após o tratamento.

Em geral, não é um quadro que evolui para grandes complicações quando tratado da forma correta. Apesar disso, pode ser bem difícil eliminar totalmente o problema. O tratamento envolve mudanças no cuidado do pet e podem ser utilizadas medicações tópicas com potencial antibacteriano e comedolítico.

O médico veterinário deve ser consultado para dar as orientações necessárias pois alguns animais precisam realizar tratamento de manutenção por toda a vida.

Comentários

Previous post

Segmento pet, o novo filão da hotelaria

Next post

Chocolate pode fazer mal ao cachorro. Veja opções de petisco para a Páscoa