0
Shares
Pinterest Google+

Podendo aparecer em função de disfunções comportamentais ou metabólicas, a é um bastante comum no mundo dos cães, e consiste no ato do pet comer .

Vários motivos podem estar envolvidos no aparecimento desse tipo de canino, e descobrir a origem do problema é o primeiro passo para solucioná-lo. Embora, na maioria dos casos, os cães com coprofagia tenham o costume de comer seu próprio , ele também pode ingerir as fezes de outros animais, incluindo cães, gatos e até seres humanos.

Confira, a seguir, algumas das causas mais comuns para a coprofagia canina:

Fome A falta de alimentação pode incentivar o problema, já que as fezes não são repugnantes para os cães como para as pessoas.

Carência nutritiva A falta de nutrientes pode fazer com que o cão os busque nas fezes de outros animais, que podem ser consideradas até como um petisco pelo cachorro.

Estresse Mudanças bruscas de ambiente e a solidão podem levar o cão a ficar depressivo e estressado, e essa ansiedade pode ter a coprofagia como uma forma de escape.

Falta de atenção dos donos Sabendo que o ato de comer cocô aumenta a atenção de seus donos em relação à ele (mesmo que de forma negativa), o cão pode desenvolver o problema por querer mais carinho e cuidados.

Medo de punições Ao notar que é punido quando defeca em lugares inapropriados, o cachorro pode comer suas fezes para evitar punições de seus donos. Embora as causas citadas acima sejam algumas das mais comuns, a coprofagia ainda pode ser desencadeada em função da presença de vermes no animal, da falta de espaço em que ele habita e da má digestão, entre outros fatores. Descobrir a origem do problema é a melhor forma de encontrar uma solução. Como esse hábito pode causar uma série de complicações e doenças na vida do animal, ao notar que o seu cãozinho come cocô com frequência, não hesite em levá-lo à um veterinário para que um processo de tratamento seja iniciado.

Dr. Ricardo Tubaldini (CRMV – SP 23.348), Médico Veterinário formado pela Universidade Paulista e Cirurgião Geral e Ortopedista em Hospital Veterinário de São Paulo. Dr. Tubaldini é Diretor de Conteúdo do portal CachorroGato.

Comentários

Previous post

Comunicado orienta para que cães da PM recebam menos ração no PR

Next post

Evento reúne 300 gatos de 22 raças diferentes na Avenida Paulista

No Comment