0
Shares
Pinterest Google+

Há cerca de dez anos, criar gatos em São Paulo era uma tarefa muito complicada. Encontrar o tipo de adequada, um veterinário especializado em felinos, brinquedos e acessórios era uma busca que, geralmente, acabava em frustração.

O cenário mudou radicalmente e agora ter um gato como animal de estimação dá mais prazer que dor de cabeça. “Já existem tipos de ração específicas para gatos machos que têm acesso à rua, para fêmeas castradas, para gatos mais velhos. Além disso, tem a que facilita muito a ”, disse Andre Gatti, veterinário especializado em gatos.

Atualmente, são cerca de 500 mil felinos domésticos na cidade, segundo o Centro Controle de Zoonoses. Ainda é um terço do total de cachorros, porém, a turma dos “cat lovers” não para de crescer.

“Quando eu tinha seis anos, pedi um cachorro para o meu pai e ele trouxe um gato. Desde então me afeiçoei muito a eles. Hoje cuido de dois: A Billie e o Mishima. Ambos muito afetuosos”, disse a escritora Mônica Petry, que colabora com a ONG “Adote um Gatinho”.

De
De acordo com o doutor Gatti, os felinos são bastante independentes, higienicos e se adaptam bem à vida em apartamento, mesmo que tenham que passar muitas horas sozinhos. “Na Europa, os gatos já são maioria em alguns países. Devido à verticalização da cidade, essa tendência também pode ocorrer aqui”, disse.

gato-e-mulher-carinho-petrede

O ideal é levar o gato de três em três meses ao veterinário e ficar sempre atento às mudanças de . “Eles são muito metódicos, então uma alteração na rotina pode ser o indício de doença”, disse.

Existem raças mais adequadas segundo o espaço e os hábitos do dono. A castração, após o período de vacinação, é recomendada na maioria das vezes. “Ela não altera o comportamento do gato. Em alguns casos, ele pode ficar até mais dócil, principalmente se a agressividade estiver relacionado ao comportamento sexual”.

Comentários

Previous post

Conheça o estado de espírito do seu gato sem precisar falar com ele

Next post

Aquários trazem paz apenas para quem vê de fora

1 Comment

  1. suely bischoff machado de oliv
    13/03/2012 at 19:27 —

    Olá.Boa noite.Eu até diria mais, cerca de 20 anos atrás era bem mais difícil obter ração adequada.Existia a MITZI, vinha numa caixa amarela tipo maizena,era como se fôssem pedacinhos de sardinha secos.Os gatos não apreciavam muito,então eu costumava comprar sardinha fresca na feira ,tirar escamas, e espinha ,picar e dar aos meus peludos.Para quem não dispõe de muito tempo,como para passear com um peludo canino, o melhor é ter um felino, pois eles já passeiam sozinhos pelos muros,telhados,etc
    Ter um gato  confinado em um apto,acho muito cruel, pois por mais carinho que seu dono lhe dispense,falta um espaço para correr,brincar, respirar ar puro,etc…..pois vejo os meus 8 gatos correrem felizes,subirem nas árvores,etc