0
Shares
Pinterest Google+

– Os nova-iorquinos podem estar comprando menos luxuosos para si mesmos por causa da recessão, mas eles parecem relutantes em economizar com seus bichos de estimação. Como resultado, um relatório de de bens imobiliários mostra que houve uma pequena explosão de varejistas de animais em .

euapetshop

Esse surgimento não reflete apenas nos mimos dados aos animais. Em um desacelerado, os arrendadores antes relutantes agora veem mais um interesse em negociações de ligados a animais, e alguns varejistas, particularmente aqueles que têm animais em suas premissas, estão aproveitando essa chance para expandir.

Por exemplo, o Spot, antes conhecido como Paw Stop, assinou um contrato de aluguel por dez anos neste mês, por um espaço de cerca de 460 metros, na West 20th Street, na vizinhança de Chelsea, em Manhattan. O negócio, que vende alimentos, produtos para e creche para cães, tem uma loja no centro em TriBeCa, e seus donos dizem que continuam buscando um espaço na parte leste da cidade.

“Nossos em TriBeCa vão bem”, disse Anisha Khanna, um dos donos da Spot. “As pessoas não param de gastar com seus animais e seus filhos durante a recessão. Eu acho que com esse vínculo emocional, eles gastam mais do que nunca”.

Com o declínio do aluguel de escritórios e espaços comerciais, cerca de 25% nos últimos 12 meses, outros vendedores de animais estão se fixando em um local ou procurando algum. Em outubro, a Fetch NYC, uma creche para cachorros, assinou um contrato de arrendamento de um espaço de cerca de 560 metros na South Street, na parte baixa de Manhattan, e outra companhia de creche para cachorros chamada Paws and Relax, alugou um local de 120 metros na Avenida B, em East Village. Ambos os acordos foram feitos pela corretora comercial JDF Realty.

A Dogmatic Products, fabricante de produtos de cachorros vendidos pela , assinaram um arrendamento de um escritório com cerca de 260 metros no Soho. “A animal é um verdadeiro nicho nos negócios que se estabeleceu em Nova York”, disse Victor M. Menkin, fundador e presidente da Menkin Realty Services, que trabalhou na venda de bens imobiliários por mais de três décadas, em Nova York e apontou um aumento da demanda por espaços relacionados a animais.

“O fato de esse nicho continuar demonstrando força em tempos de dificuldade é uma verdadeira indicação sobre a importância de como os animais são importantes para as pessoas”, disse ele. “Há muitas pessoas solteiras em Nova York, e o animal se torna, até certo ponto, um vínculo provisório para pessoas que não têm filhos ou companheiros”.

Um lugar grande de para cachorros, o Biscuits and Bath, tem seis locações em Manhattan e pretende abrir mais quatro ou cinco, além de talvez mais duas no Brooklyn e uma no Queens ou Hoboken, em Nova Jersey, disse John Ziegler, co-fundador e presidente da companhia.

Ziegler disse que certas divisões do negócios estão em dificuldade. Por exemplo, a procura por hospedagem de animais decaiu, porque as pessoas não estão mais viajando tanto em férias ou a trabalho. Além disso, os donos de cachorros estão pedindo mais curtas para os cachorros ficarem limpos por mais tempo, disse ele.

Ziegler estima que recentemente ele perdeu cerca de 100 a 150 clientes por mês, mas ganhou cerca de 350. Segundo ele, apesar de a procura por hospedagem ter declinado, os clientes que apareceram são pessoas novas na cidade, que acabaram de adotar animais ou pessoas que precisam de hotéis para cachorros por terem que trabalhar por mais horas.

Uma conduzida em outubro pela agência de notícias The Associated Press e Petside.com, uma loja virtual de animais e veterinária, mostrou que mesmo que 93% dos americanos afirmarem que gastariam menos em presentes de final de ano do que no ano passado, mais ou menos o mesmo tanto que há um ano, e 52% dos donos de animais planejavam comprar um para seus bichos – mais do que os 43% no ano passado.

“As de animais em geral estão boas em relação a outros comércios”, disse Andrew Mandell, sócio da corretora Ripco Real Estate New York City, que busca novos locais para a Petco, uma cadeia de lojas de animais.

Quando a demanda é alta no mercado de arrendamento, os proprietários geralmente se recusam a negociar com varejistas de animais que tem premissas, por razões óbvias. “Ninguém olha com bons olhos para os animais”, disse Dan Rubenstein, fundador e um dos donos da Spot. “Eles acham que cheira mal, que fazem barulho, eles pensam em todas as coisas ruins possíveis”.

Mas com um mercado de imóveis fraco, os proprietários tendem a ser mais receptivos, disse Rick Johnson, diretor da corretora First New York Realty, que encontrou um local para a Dogmatic Products. “Quando o mercado está fraco, os proprietários são muito mais lenientes”, disse.

Autor: Alison Gregor
Fonte: Último Segundo

Comentários

Previous post

Domesticação muda hábitos dos animais, diz especialista

Next post

Viajar de carro com seu animal de estimação é possível, basta ter cuidado

No Comment