Garantia de bons negócios: novos formatos do segmento pet

crescem em ritmo acelerado e empresários precisam inovar para garantir satisfação do consumidor

Eles possuem um poder de conquista imediato. Em um primeiro contato, são capazes de encantar, ganhar corações e até arrancar suspiros. Há os que resistam em adotar e cuidar de um animal de estimação, mas a grande maioria das pessoas passam a tê-los como “filhos”, preocupando-se com o seu bem-estar e concedendo a eles o melhor possível. O aumento do convívio com os bichanos é irrefutável e o amor entre as espécies chega a substituir, por muitas vezes, o papel afetivo que antes era desempenhado por parentes, vizinhos e até amigos.

Por conta disto, o mercado de veterinários e afins prospera diariamente e quem ganha com esta “humanização” dos bichinhos são os pet shops – lojas especializadas em oferecer e produtos para animais domésticos. Os novos membros da família aproveitam tratamentos diferenciados e sofisticados em salões de beleza especializados, que oferecem, dentre vários , novos tipos de banhos, tosas, loções e perfumes importados de alta qualidade.

Números do segmento Pet
A amplificação acelerada do mercado pet não deve parar tão cedo. Hoje, o conta com cerca de 40 mil pet shops espalhados pelo país. De acordo com dados da Associação Nacional dos Fabricantes de Alimentos para Animais de Estimação (Anfalpet), o gasto médio com produtos e serviços per capta por ano é de R$ 390 entre pet food – comida para os animais -, vacinas, produtos farmacêuticos, embelezamento e acessórios, totalizando R$ 16 bilhões de faturamento para o setor.

Personalização de serviços
Com uma postura mais exigente, o consumidor atual procura muito mais do que profissionalismo. Um atendimento diferenciado e de qualidade indubitável é garantia de bem estar ao animal de estimação e, é claro, a satisfação do dono. Os empresários que investem ou pretendem investir em serviços para animais de estimação necessitam se reinventar para se destacar. Produtos de qualidade, inovação e marketing de – sendo este último item que representa maior peso no desenvolvimento do ponto – são ferramentas fundamentais para o sucesso no segmento. A importância das empresas estarem mais preparadas para atender os bichanos é grande, pois a existe em larga escala e a clientela procura por novidades.

Antes de inciar qualquer atividade no segmento, é necessário que os interessados neste setor tenham conhecimentos das necessidades dos animais. O cuidado com raças especificas e até o entendimento do melhor tipo climático que agrada cada bicho compõem este novo pacote de diferenciais exigidos. Para que isto ocorra, é necessário a contratação de profissionais cada vez mais capacitados, que possam oferecer assistência e orientações de qualidade, garantindo assim a confiança do cliente, que não se preocupa em saber quanto deverá desembolsar para garantir cuidados especiais ao seu bichinho de estimação. O conforto, variedade em serviços e produtos exclusivos são requisitos básicos para chamar a atenção deste consumidor.

Novos canais
A febre das compras coletivas atrai o novo consumidor, que mostra-se empolgado com os descontos de diversos produtos e, é claro, com a comodidade de adquirir tudo que precisa por um bom preço e alguns cliques. O sucesso é inquestionável: a Comune, empresa agregadora de ofertas, realizou uma pesquisa na qual revelou que o mercado de compras movimentou nesse primeiro bimestre de 2011 R$ 136,85 milhões. A empresa estima que 2,83 milhões de cupons foram adquiridos nos primeiros meses do ano.

Mas a grande sacada da vez são as compras coletivas segmentadas, que surgem para atender públicos, cidades e determinadas regiões. A variedade deste modelo desperta a curiosidade do usuário e atrai um grande número de pessoas que buscam por serviços específicos.

A exemplo, temos mais um novo site adepto do comércio coletivo na web, que foca no segmento de animais de estimação. O Pet Vantagens, lançado em abril deste ano, promete ofertas exclusivas dos melhores produtos e serviços de estabelecimentos do mercado pet, mas o projeto não limita-se apenas a compras coletivas. O site oferece informações de qualidade sobre o mundo animal, focando em ações e parcerias com ONGs protetoras dos bichanos, além de realizar tudo isso com muita responsabilidade social e vestir a camisa a favor das causas dos melhores amigos do homem.

Para Daniela Guarnieri, uma das idealizadoras do Pet Vantagens e responsável pela área comercial e administrativa do site, a motivação para iniciar o projeto aconteceu quando enxergou a praticabilidade de levar aos amantes de animais descontos em produtos e serviços. “A paixão por pets contou bastante, mas a possibilidade de poder criar alternativas para que as pessoas comprem produtos mais baratos falou mais alto”, conta.

Com o objetivo de arrecadar donativos para bichanos sem tutores, o site também realiza parcerias com ONGs que lutam pela causa animal. A escolhida do mês de junho é a ONG União SRD (Sem Raça Definida), que trabalha em prol de um mundo melhor para nossos melhores amigos de 4 patas desde janeiro de 2009. “O grupo foi idealizado pela necessidade de fazer algo pelos animais abandonados, pela necessidade de lutar contra as mortes nos centros de zoonoses – que hoje em São Paulo, graças a lei do Deputado Feliciano Filho, está extinta – e pelo abandono diário de cães e gatos. Chegamos a conclusão que criticar governo e ONGs já existentes não era certo! Tínhamos que fazer algo e ajudar a melhorar a vida desses animais”, afirma Ruth Madeu, presidente do grupo.

Curiosidades do segmento
A criatividade não tem limites quando se trata de chamar a atenção dos consumidores do segmento pet. Hoje já existe no mercado a produção de petiscos diferenciados para os pets. Panetones, pastéis, pirulitos, coxinhas de frango, sorvetes e até ovos de páscoa estão na listas das guloseimas preparadas especialmente para os melhores amigos do homem.

Na hora do sono, os bichanos também podem aproveitar tanto conforto quanto seus donos. Se não fosse pelo tamanho, as camas de gatos e cachorros seriam melhores do que as de muitas pessoas. Algumas já vêm com edredom e travesseiro.

O melhor amigo do homem
A parceria entre homens e cães vem de longa data. Há pelo menos 12 mil anos, estes amigos de 4 patas transmitem reconforto e confiança aos seus donos. Tanto é que, para a grande maioria das pessoas, os laços com os bichos são tão fortes e verdadeiros quanto os com humanos.

Um estudo realizado pelo Departamento de Psicologia Experimental da USP mostra que o convívio com um animal de estimação fortalece o sistema imunológico de crianças e adultos, diminui os níveis de estresse e incidência de doenças comuns, como resfriados, por exemplo.

Os idosos também se beneficiam da companhia dos pets. É comprovado que sentem-se mais úteis e responsáveis ao cuidarem de um bichinho de estimação. No entanto, neste caso, a adoção deve ser bem avaliada, pois apesar do convívio com outra espécie ser estimulante, pode ser fonte de preocupação. Para que seja proveitoso ao idoso, é necessário que ele possua boas condições físicas e financeiras, além de alguém que o substitua nos cuidados com o animal caso fique indisposto ou tenha a necessidade de viajar.

Abandono e adoção
Nem todos os animais possuem a sorte de serem acolhidos com amor. Muitos são abandonados por possuírem alguma deficiência física ou doença, problemas de comportamento ou porque seus donos simplesmente cansaram-se deles. Em São Paulo, 25 mil cães e gatos são recolhidos anualmente pelo Serviço de Controle de Zoonoses e apenas cerca de 1.200 conseguem um novo lar. Para estes que não encontram uma nova casa o fim é trágico: são sacrificados.

Para muitas ONGs e protetores de animais a solução é a sociedade aderir à posse responsável. Antes de adquirir o animal, a pessoa precisa conhecer suas necessidades, suas exigências e avaliar se realmente vale a pena ter o bicho ou não. Após uma reflexão junto à família, analisando todos os aspectos da vida em comum, a escolha do mascote torna-se mais fácil e a realização de sua castração é recomendada.

Débora Passarelli é jornalista e especialista no segmento “Pet”.

Imagens: Ilustração/Divulgação/Reprodução/Internet

Comentários