Redes de pet shop apostam em baixo investimento e alta mobilidade

De olho nos que estão dispostos a gastar com seus bichos de estimação, mas que também querem e rapidez nos , empresas do lançam de em formatos . São unidades com baixo inicial e custos fixos reduzidos, com aposta na alta lucratividade.

Uma das redes que seguem essa tendência é a Pet Shop Móvel, criada por Roberto Saretta, que trabalha no desde 1998 e, em 2002, desenvolveu uma versão móvel do . O modelo de franquias foi lançado neste ano. Com uma unidade franqueada em funcionamento, a Pet Shop Móvel oferece serviços como e , no do cliente. “O é o segundo maior de pets do mundo, por isso nossa ideia é levar comodidade e conveniência ao cliente e para o animal”, observa Saretta.

Para abrir uma unidade, o franqueado investe R$ 49 mil, utilizados para , taxa de franquia e adaptação do veículo (procedimento que pode durar até 30 dias). A empresa recomenda que a van, com preço médio de R$ 70 mil, seja adquirida via leasing, para ser quitada com o próprio faturamento. Os equipamentos instalados dão autonomia ao carro, que recebe reservatório de água e gerador de energia, para que não seja necessária a utilização de recursos da residência do cliente.

Os baixos custos fixos e operacionais são as principais que atraem os empreendedores para o negócio, segundo Saretta. Os gastos básicos são com gasolina, um ajudante e um tosador, sem despesas como luz ou aluguel de imóvel. O faturamento de cada unidade é de cerca de R$ 150 mil anuais, com lucro líquido mensal de entre R$ 6 mil e R$ 8 mil.

Os clientes que geralmente contratam os serviços da empresa são das classes A e B, residentes de bairros paulistanos como Morumbi, Jardins e Vila Nova Conceição. São feitos em média 350 atendimentos por mês – o serviço de banho e tosa custa R$ 42. Há também a opção de pacotes mensais para trabalhos semanais. “Isso ajuda a fidelizar nossos clientes”, afirma Saretta. Em , o pet shop trabalha com agendamento de horários, ou seja, em um único prédio podem ser atendidos até 15 pets no mesmo dia.

Há quatro meses no mercado, a franquia de cuidadores de pets Dog Relax é uma das apostas do grupo Zaiom – especializado em negócios com prestação de serviços sem ponto comercial, realizados na casa do próprio cliente e com baixo investimento para implantação e operação. O modelo de atendimento, explica Marco Imperador, sócio-diretor do grupo, é muito comum em países como e , onde as pessoas trabalham longe de casa e, por isso, passam menos tempo com seus bichos de estimação.

A ideia principal do negócio é disponibilizar, além das demandas mais comuns, como banho e tosa, serviços de cuidadores de pets. Diariamente, o profissional alimenta o cachorro, faz a sua higiene e passeia com o bicho, visando suprir a ausência do dono. Os planos mensais ficam entre R$ 300 e R$ 600, com dois banhos semanais e uma hora de cuidados diários de segunda a sexta-feira (aos finais de semana é cobrado um valor extra). A capacidade de atendimento é de entre 3 e 4 clientes por dia. O público-alvo do negócio são famílias que ficam pouco em casa e têm preocupação com o tempo que o animal passa carente de companhia e atenção.

Os primeiros franqueados estão concluindo os treinamentos e, em dezembro, cinco unidades iniciarão as atividades em São Paulo. A previsão de faturamento para cada franquia é de até R$ 18 mil mensais, e a rentabilidade pode chegar a 50% do valor. O grupo Zaiom está há dois anos no mercado, tem 400 unidades de franquias no Brasil, em ramos variados, e fatura R$ 35 milhões por ano.

Para Saretta, uma das maiores vantagens do modelo móvel, em relação ao ponto fixo tradicional, é o investimento mais seguro: caso as atividades não atendam às expectativas ou às necessidades do franqueado, o negócio pode mudar de bairro ou região, sem inconvenientes envolvendo, por exemplo, contrato de imóvel e mudança da empresa. Ele ainda destaca que, ainda que o faturamento seja menor, com a mobilidade, os custos fixos são mais baixos, e o lucro, maior. “Em um pet shop fixo, o faturamento mensal chega a R$ 40 mil, mas, em razão das despesas muito altas, o lucro é menor”, observa Saretta.

Até o final de 2011, a Pet Shop Móvel e a Dog Relax pretendem ter 50 unidades franqueadas cada uma, com expansão nacional.

Quanto custa ter uma franquia Pet Shop Móvel
Investimento inicial R$ 49 mil
Capital de giro R$ 10 mil
Margem de lucro sugerida 40% do faturamento
Taxa de franquia R$ 29 mil
Royalties R$ 500
Taxa de publicidade R$ 300
Faturamento médio mensal R$ 18 mil
Prazo de retorno 12 a 18 meses
Prazo de contrato 60 meses
Nº mínimo de funcionários 2
Faturamento da rede R$ 200 mil/ano
Tel.: (11) 5505 1578
Site www.petshopmovel.com.br

Quanto custa ter uma franquia Dog Relax
Investimento inicial R$ 20 mil
Capital de giro R$ 2 mil
Margem de lucro sugerida 50%
Taxa de franquia R$ 15 mil
Royalties 8% sobre o faturamento bruto
Taxa de publicidade 2% sobe o faturamento bruto
Faturamento médio mensal R$ 10 mil
Prazo de retorno 6 a 12 meses
Prazo de contrato 4 anos
Nº mínimo de funcionários 1
Tel.: (19) 3242 3568
Site www.dogrelax.com.br

Imagens: Ilustração/Divulgação/Reprodução/Internet

Comentários

Um comentário sobre “Redes de pet shop apostam em baixo investimento e alta mobilidade