Animais feridos ou mutilados podem ser adotados no Ibama

Uma cena triste e comum na sede do Ibama, no Recife. Animais feridos ou mutilados ficam presos em gaiolas depois de serem vítimas da crueldade humana. No local, eles recebem tratamento, mas nem sempre podem voltar à natureza. Quem gosta de bichos e pode dar o carinho que eles merecem, pode adotar um.

O espaço do Ibama onde os bichos ficam abrigados está pequeno. Há mais de 300 animais. Eles eram criados ilegalmente ou estavam à venda em feiras, quando foram recolhidos para o Centro de Triagem de Animais Silvestres.

No local, os biólogos analisam quais têm condições de ser soltos. O cativeiro deixa marcas. Algumas são reversíveis, outras ficam para sempre, impossibilitando o animal de voltar para a natureza.

Esse é o caso de um macaco que teve alguns dentes arrancados e outros serrados para que ele não mordesse o criador. Sem as presas, ele não consegue caçar alimentos essenciais para a sobrevivência.

Um sabiá ficou cego depois de ser exposto à luz por muito tempo. Acredita-se que foi o criador que deixou o animal assim para que ele cantasse mais. Sem ver nada, o canto é de dor.

Outro sabiá se machucou e também ficou cego depois de se debater estressado por estar preso na gaiola. Uma arara Canindé não consegue voar porque a asa esquerda foi quebrada. São animais que não vão ter liberdade, mas que podem descobrir que o mesmo homem que machuca, pode dar carinho.

“A gente faz visita de seis e seis meses à casa do criador que decidiu adotar um animal desses, já que é uma situação diferente. A gente alerta que não pode adotar a pessoa que apenas gosta de bicho, mas, sim, uma pessoa que quer e tem condições de cuidar de um animal mutilado”, disse o analista ambiental Edson Andrade.

Se você tem um lugar adequado para abrigar um desses animais pode tentar a guarda provisória. Para se candidatar, é só procurar a sede do Ibama, que fica na avenida 17 de agosto, 1057, no bairro de Casa Forte, Zona Norte do Recife. O horário de atendimento é das 8h às 12h e das 14h às 18h.

Para denunciar casos de maus tratos de animais, a orientação é ligar para a Delegacia do Meio Ambiente. O telefone é o (81) 3184-7119.

Fonte: PE360graus

Você pode gostar...