0
Shares
Pinterest Google+

Uma cena triste e comum na sede do , no . Animais feridos ou mutilados ficam presos em depois de serem da humana. No local, eles recebem , mas nem sempre podem voltar à . Quem gosta de bichos e pode dar o carinho que eles merecem, pode um.

O espaço do Ibama onde os bichos ficam abrigados está pequeno. Há mais de 300 animais. Eles eram criados ilegalmente ou estavam à venda em feiras, quando foram recolhidos para o Centro de Triagem de Animais Silvestres.

No local, os biólogos analisam quais têm de ser soltos. O cativeiro deixa marcas. Algumas são reversíveis, outras ficam para sempre, impossibilitando o animal de voltar para a natureza.

Esse é o caso de um que teve alguns dentes arrancados e outros serrados para que ele não mordesse o . Sem as presas, ele não consegue caçar alimentos essenciais para a .

Um sabiá ficou cego depois de ser exposto à luz por muito tempo. Acredita-se que foi o criador que deixou o animal assim para que ele cantasse mais. Sem ver nada, o canto é de dor.

Outro sabiá se machucou e também ficou cego depois de se debater estressado por estar preso na gaiola. Uma arara Canindé não consegue voar porque a asa esquerda foi quebrada. São animais que não vão ter liberdade, mas que podem descobrir que o mesmo homem que machuca, pode dar carinho.

“A gente faz visita de seis e seis meses à casa do criador que decidiu adotar um animal desses, já que é uma situação diferente. A gente alerta que não pode adotar a pessoa que apenas gosta de bicho, mas, sim, uma pessoa que quer e tem condições de cuidar de um animal mutilado”, disse o analista ambiental Edson Andrade.

Se você tem um lugar adequado para abrigar um desses animais pode tentar a guarda provisória. Para se candidatar, é só procurar a sede do Ibama, que fica na avenida 17 de agosto, 1057, no bairro de Casa Forte, Zona Norte do Recife. O horário de atendimento é das 8h às 12h e das 14h às 18h.

Para denunciar casos de maus tratos de animais, a orientação é ligar para a Delegacia do Meio Ambiente. O telefone é o (81) 3184-7119.

Fonte: PE360graus
Anterior

Australiano se casa com seu cachorro

Próxima

Gato colocado em forno quente sobrevive nos EUA

  • Olá Alexandre.Sinceramente não vejo bons prognósticos no comportamento do ser humano.Veja bem,a tecnologia está muito avançada,mas a mente humana está indo na contramão,se prejudicando e prejudicando os outros seres vivos.O homem de hoje,só olha para o próprio umbigo,passa por cima da ética para obter o ganho material.Mas esquece tão somente de ser um indivíduo decente,digno,ético,moral,etc.Veja bem, ouço tanta coisa indecifrável no meu consultório, que fico muito triste, mas luto para ajudar os meus pacientes a sairem da prisão mental em que se encontram.

  • Olá.Fico indignada com o comportamento de certos indivíduos.Não consigo me acostumar…………Mau tratar animais,mutilá-los,confiná-los,etc….é um ato de covardia pautado no comportamento doentio e beirando o sadismo de certas pessoas.O IBAMA os acolhe,mas é imperioso que campanhas informativas possam ser veiculadas nos meios de comunicação. Prevenir atos de crueldade é bem melhor do que ver os animais posteriormente mutilados,não é mesmo?Assim, o IBAMA poderia tratar,zelar e encaminhar muitos animais para novos lares..

    • Sonho com o dia em que o “inteligente homem” vai deixar de alimentar o tráfico de animais, será que veremos esse dia Suely?

      Abs