0
Shares
Pinterest Google+

Problemas nas articulações e para enxergar, perda dos dentes, preguiça, lentidão. Esses são alguns sinais de que seu bicho de estimação está chegando na .

E, assim como os humanos, eles precisam de cuidados especiais para garantir um fim de vida mais saudável e feliz. A partir dos 6 anos, gatos e cachorros necessitam de atenção diferenciada.

Há sete anos na profissão, o Júnior Caçador informa que as principais que atingem animais domésticos estão relacionadas à articulação, como artrose, artrite e problemas de coluna. Outras enfermidades que acometem os bichos em sua “terceira idade” são a pneumonia – que se agrava com o clima frio -, além problemas cardíacos, catarata, insuficiência renal, câncer e até diabete. O comportamento do animal também muda. “Ele fica mais lento, mais preguiçoso e dorme mais”, diz Caçador.

Assim, é importante dispensar atenção adicional para o animal nesta fase, que fica mais dependente de seu dono. “Muitos cães, por exemplo, chegam a perder os dentes e precisam de ajuda para engolir a comida”, afirma.

Para garantir mais qualidade de vida aos animais de estimação, o veterinário aponta que a alimentação é uma das principais medidas para provocar um crescimento saudável. “O mercado oferece rações com anti-radicais, que cuidam da saúde do animal desde pequeno”, ressalta. “Para cada porte de animal, existe uma ração específica, que supre determinadas necessidades do organismo. Há também vitaminas para os animais idosos. Mas é importante que o dono procure orientação de um veterinário que o auxilie na dosagem desses suplementos”, explica.

De acordo com Caçador, há raças de cães mais resistentes e que vivem mais. Os de pequeno porte alcançam, em média, os 15 anos. Já cachorros de grande porte têm uma média de longevidade entre 9 a 10 anos. O vira-lata é considerado o cachorro mais resistente. “O poodle e o pinscher são raças consideradas mais fortes. Já o rottweiler, cocker e buldogue inglês, por exemplo, demandam mais cuidados, pois são mais sensíveis e propensos a doenças”, aponta.

Outro fator importante para a vida de todos os bichinhos de estimação é manter a vacinação em dia. “Questões básicas de e um ambiente feliz também garantem qualidade na vida do animal e contribuem para solidificar uma vida mais saudável”, orienta.

O veterinário Matheus Millo Hoppe diz que é importante o acompanhamento veterinário a cada seis meses. “A expectativa de vida dos animais domésticos, como o cachorro, aumentou bastante graças aos avanços da medicina veterinária e da alimentação”. Nessa visita ao veterinário, uma avaliação será feita para prevenir doenças ou diagnosticá-las. “O cão se torna mais obeso na terceira idade, mas, ao mesmo tempo, está mais cansado. O dono precisa fazer caminhadas mais leves e ficar de olho na alimentação”, salienta.

Outro fator que influencia de forma negativa na saúde do animal é o isolamento. “Se ficar muito tempo preso, ele fica mais agressivo”, reforça Caçador.

Por mais que vários tipos de doença acometam os cães na velhice, o principal motivo de , em , ainda é a , que atinge animais das mais variadas idades. “As causas da disseminação da doença são o lixo, a má higiene no ambiente em que o animal vive e a falta de pulverização do mosquito causador da doença”, ressalta Caçador.

E por mais que a medicina veterinária evolua, vários procedimentos de e para animais mais idosos ainda são inacessíveis às clínicas e hospitais veterinários. “Os custos de equipamentos são muito altos, mas a tendência é que sempre a veterinária desenvolva e ofereça novos tipos de tratamentos para os animais”, realça Hoppe.

Doenças podem levar ao

Um dos motivos que levam os donos abandonarem seu bichos são as doenças que, geralmente, aparecem quando os “melhores amigos” ficam mais velhos. “A maioria das pessoas que resolvem abandonar um cão, um gato ou outro animal alega não ter de cuidar”, revela a presidente da organização não governamental (ONG) Naturae Vitae, Fátima Shroeder, que recebe denúncias de de animais.

“O , na verdade, adquire um animal e não é responsável o suficiente para assumir todos os cuidados necessários em relação ao bicho”.

A protege animais de maus-tratos e prevê para quem agride ou abandona os bichanos. A lei 9.605/98, de ou Lei da , pune esses atos com multa de R$ 20 mil a R$ 500 mil. O responsável, que pode ou não ser o dono do animal, também está sujeito ser preso por 2 a 15 dias.

“Ao adquirir uma animal, é preciso avaliar as condições de mantê-lo, o disponível para criá-lo, é necessário assumir os gastos com e demais deveres”, completa o veterinário Júnior Caçador.

Anterior

Ex-BBB irá apresentar programa sobre animais na RedeTV!

Próxima

Gatos-robôs poderão cuidar de idosos britânicos dentro de três anos

  • suely bischoff machado de oliveira

    Olá.É isso mesmo.Animais idosos necessitam um olhar + atento de nossa parte.Sei bem como é, pois tenho gatos e muitos idosos.O + velhinho está com 15anos e meio.Sempre foi um estressadinho, mas agora este comportamento aumentou.Ele é o protótipo do Garfield……….rsrsrUm nojentinho muito amado.Ele se alimenta bem,faz as suas necessidades sempre no mesmo lugar.É limpinho,mas anda + vagarosam/,já perdeu alguns dentinhos,etc.Assim, tb dou um tratam/ especial p/ os velhinhos, ou seja, os alimento com porções de carne fresca moida + a ração.Estou sempre + atenta p/ os idosos.Tive um gato q. morreu com quase 19 anos, outro com 18 e por aí vai.Os meus pets sempre vivem bastante comigo.Os respeito em suas individualidades, pois gatos são sensíveis a mudanças bruscas de temperatura e do clima.
    Tb devemos tratar os nossos bichinhos sempre com carinho e muito amor,independentemente de sua condição e ou idade.

  • rosana

    Minha cadela pincher tem 15 anos de idade e levei ela até a veterinária pois ela estava com o andar lento e sem querer se alimentar a veterinária passou doses altissimas de antibioticos e antiflamatorios o que fez com que agravasse mais ainda seu quadro passados 15 dias ela vive com o pescoço para traz e se alimenta so de liquidos levei ela em outra clinica para saber o motivo desse pescoço para traz ninguem sabe responder

  • Olá pessoal,

    Nossos cães nos dão diferentes alegrias durante seu ciclo de vida, engraçados e mimosos quando filhotes, brincalhão quando adulto, parceiros quando idosos, mas em todos os momentos nosso companheiro leal.

    Cães idoso tem diferentes necessidades e muitas coisas que eram normais em uma fase do ciclo de vida não são mais. Como exemplo pular de camas e sofás, sua mobilidade não é mais a mesma. Petescadas pode ajudar consideravelmente a reduzir este efeito.

    Cães com pernas curtas e corpo mais alongado são muito suscetíveis a machucaduras nas articulações e desenvolver doenças como artrite, além de ser um processo muito doloroso.
    Grato
    Paulo Petescadas

    http://www.petescadas.com.br

  • Eles não só merecem cuidados especias quando idosos como merecem cuidados especias a vida toda,pessoal os cães são uma benção de Deus que foram colocados na terra para alegrar a nossa vida,são sem dúvidas uma das melhores criações de Deus…São simplismente uma peça rara que jamais podem ser maltratadas….

  • Bernardete

    Nossos animais e estimação merecem todo nosso cuidado e atenção, principalmente quando envelhecem. Afinal, são eles que nos proporcionam muita alegria durante toda suas vidas.