0
Shares
Pinterest Google+

mulher-menina-cachorro-gato-natureza-petrede orienta qual animal de estimação é o mais indicado para diferentes pessoas ou situações

Escolher entre um cão ou um gato não é uma tarefa fácil. Todo animal, independente da espécie, necessita de , , veterinários, e uma ótima. Optar por ter um pet em casa é sempre uma grande e se informar antes de tomar tal decisão é necessário para evitar surpresas e decepções. Por isso, as expectativas e estilos de vida dos proprietários devem se adequar às características e ao de cada espécie.

O veterinário da PremieR pet, Anderson Medina, enfatiza que é necessário ter cautela e se informar sobre as necessidades destes animais. “Uma escolha consciente aumenta as chances de sucesso e o novo melhor amigo só trará alegrias.” Ele expõe características de cada um para que as pessoas possam se orientar melhor durante a escolha. Veja abaixo:

Prós e contras dos cães
Uma característica marcante dos cães é a eterna disposição em agradar seus donos e a entrega nas brincadeiras e atividades comunitárias. Eles são mais dependentes e carentes de atenção do que os gatos, exigindo mais tempo de interação e cuidados. Se o estilo de vida é agitado e com pouco tempo para os afazeres do lar, talvez um cãozinho não seja o ideal. Será necessário despender um tempo para passeios regulares. Além disso, o tempo na limpeza das suas necessidades também deve ser considerado, já que não costumam usar a caixinha de areia como os gatos.

Quem gosta de exercícios não encontrará outro parceiro tão comprometido como eles. Em maior ou em menor grau, dependendo da raça escolhida, a ânsia de agradar os tornam mais propícios a obedecerem comandos e serem uma ótima companhia em atividades físicas como frisbee, agility, caminhada, entre outros.

Entretê-los pode parecer cansativo e soar até como uma desvantagem, mas eles estão totalmente envolvidos na vida de seus donos e amam cada momento que possam estar próximos. Por serem mais dependentes, férias ou viagens de negócios ficam mais difíceis de programar. Nestes casos, o mais adequado é encontrar alguém para cuidar dele ou até deixá-lo em um hotelzinho, pois o mesmo necessitará de atenção, cuidados e carinho e, assim, não se sentirá tão sozinho. Em geral, os cães são mais onerosos que os gatos. Quanto maior o cão, mais gastos estarão envolvidos em alimentação, escovação, banho e tosa. No caso de banhos, é possível fazerem casa ou levá-lo para pet shops, mas precisa ser feito, pois ao contrário dos felinos, eles não costumam fazer isso sozinhos.

Se além de um companheiro para a família, a procura é por um animal que possa proteger a casa e avisar sobre possíveis intrusos, os cães também são a melhor opção. Determinadas raças são especialmente selecionadas para atuar como cães de guarda.

Prós e contras dos gatos
Atualmente, os gatos são os pets que mais se encaixam ao estilo de vida das grandes metrópoles. São pequenos, silenciosos, possuem um temperamento amistoso e curioso, além de exigirem poucos cuidados de seus donos. O número no Brasil vem crescendo a cada ano, sendo o animal ideal para pessoas que moram em apartamento e não têm muito tempo para cuidar dele.

De maneira geral, os cuidados que os gatos necessitam são menores que o dos cães. Embora eles não tenham que passear para fazer suas necessidades, as caixas de areia devem ser higienizadas pelo menos duas vezes ao dia e seu pelo escovado com regularidade (a frequência varia de acordo com a raça e o tipo de pelagem).

A independência é uma característica famosa entre esses animais. Eles não sentem a necessidade de agradar seus donos; um gato vai se aproximar para uma carícia apenas quando quiser. Se o ego de quem pretende possuir gatos não puder aturar os caprichos de seu animal de estimação, então os felinos não são os mais indicados.

Eles têm um temperamento forte e não têm o hábito de realizar atividades físicas ou de entretenimento apenas para agradar. Se um gato aprende um truque, é porque ele quer.

Quando chegar em casa, muito provavelmente o dono não será recebido por lambidas e saltos empolgados; ele poderá deitar no sofá para descansar e seu gato vai ser feliz enroscando-se para uma soneca. Nas horas das brincadeiras, eles adoram bolinhas e brinquedos, mas a atividade é menos intensa quando comparado a de um cão.

Se desejar ter este pet em casa ou apartamento, instalar redes de contenção nas janelas será algo necessário para manter a segurança do bichano. Há vários acessórios especiais para esses eles, tais como arranhadores, fontes de água, brinquedos, toquinhas, prateleiras e diversos outros itens exclusivos que auxiliam na saúde dos felinos e no enriquecimento ambiental.

Quem viaja muito e precisa se distanciar do gato por muito tempo, apesar de sentir falta, ele não dependerá de seu dono para uma caminhada, brincadeiras ou entretenimento. Apenas de alguém cuidando de sua caixinha de areia e alimentação, em duas visitas diárias, será suficiente para se certificar que está tudo bem. E ao contrário dos cães, não poderá deixá-los em hotelzinhos, pois uma das piores coisas para um gato é ser retirado de sua casa, de seu ambiente. Podendo assim, alterar seu comportamento e ficar mais agressivo, e em alguns casos, depressivo e não se alimentando corretamente.

Anterior

Crescimento do mercado leva pet shops a reformularem conceito para atrair clientes

Próxima

Mitos e verdades sobre doenças transmitidas ao homem pelos animais