0
Shares
Pinterest Google+

Em carta publicada esta semana na Gazeta do Sul o mecânico Airton Andres alertou a população para castrações ilegais de cães em . As denúncias estão sendo investigadas pelo Conselho Regional de Medicina Veterinária () e pela Vigilância Sanitária do município.

José Augusto Borowsky

Atraído por um preço atrativo, de R$ 80,00, o mecânico contratou o serviço de dois veterinários, indicados por uma casa agropecuária e que fizeram a de dois cães (fêmeas) nos fundos da sua residência, sem cuidados com a assepsia. Os profissionais seriam de outro município e viriam a Santa Cruz semanalmente para atender os clientes do estabelecimento.

Logo depois dos procedimentos, as suturas, feitas com linha de pesca, infeccionaram e as cachorrinhas Cindi (uma linguicinha) e Lessi (SRD) quase morreram. Elas precisaram ser internadas em uma clínica, onde ficaram por quase dez dias em . Revoltado, Andres denunciou o caso à Polícia Civil, ao Ministério Público e ao CRMV, além de mover processo contra os veterinários e a agropecuária.

O coordenador da Vigilância Sanitária da Prefeitura, veterinário Paulo César Rutkowski, confirmou a denúncia e disse que não foi a primeira envolvendo os dois profissionais. No entanto, como o caso não ocorreu dentro de um estabelecimento, o setor não pôde agir. “Nós recomendamos a realização do boletim de ocorrência na Polícia Civil e a denúncia à promotoria e ao CRMV.”

Ética
Rutkowski esclareceu que não é permitida a realização de cirurgias a céu aberto ou em domicílio. Frisou que qualquer procedimento desse tipo só pode ser feito em sala exclusiva e apropriada, com equipamentos esterilizados e adequados, em locais licenciados pela vigilância.

Destacou que os dois veterinários feriram a ética profissional. Explicou que, por terem passado por uma universidade, conhecem os procedimentos legais para uma cirurgia. Como agiram fora das normas, disse que estão lesando os clientes. “Quem contrata o serviço de um profissional tem a expectativa de que ele irá atuar dentro dos padrões técnicos e éticos.”

Desconfie do preço baixo
Conforme Paulo Rutkowski, os proprietários de animais devem desconfiar de “promoções”. Explicou que a castração de uma cadela de porte médio, com todos os cuidados recomendados pelo CRMV, custa entre R$ 250,00 e R$ 300,00. De um macho, o preço médio é de R$ 150,00. Avaliou que uma castração por R$ 80,00 não estará respeitando as normas técnicas e de assepsia. Só o frasco de anestesia custa R$ 70,00 em uma casa veterinária.

O coordenador da vigilância disse que uma cirurgia feita sem os cuidados necessários poderá levar o animal à morte. Pela forma como teriam agido os alvos de denúncia, Rutkowski diz que até duvida se realmente são veterinários. Lembrou que, em algumas localidades, é comum a existência de “práticos”, que acabam causando danos irreversíveis em muitos procedimentos.

Anterior

Criação de mini animais ganha força no mercado pet

Próxima

Inglaterra vai proibir animais selvagens em circos