0
Shares
Pinterest Google+

Os animais domésticos também ficam mais no e, por isso, os donos devem ficar atentos aos das respiratórias, que podem evoluir para uma e matar.

“Tanto os cães quanto os gatos estão mais predispostos a apresentar doenças respiratórias virais, especialmente os e, em alguns casos, podem ocorrer infecções bacterianas secundárias, com o desenvolvimento de pneumonia, que pode levar à morte”, afirma a professora Sílvia Regina Ricci Lucas, da de Medicina Veterinária e da de (). Se o animal apresentar sintomas como , , , ausência de apetite e falta de disposição por mais de dois dias, os donos devem levá-lo ao .

Os agentes causadores da gripe em cachorros e gatos são diferentes dos que atacam as pessoas. Nos cães, a respiratória mais comum é a traqueobronquite (tosse dos canis ou gripe canina). Entre os agentes causadores estão o vírus parainfluenza e a bactéria Bordetella bronchiseptica. A veterinária Marcia Lembo afirma que a doença é transmitida com facilidade de para . “Se entre dez cães houver um com a tosse canina, os outros vão pegar”, diz. Por isso, Marcia orienta os donos dos cachorros a evitar passear em praças com aglomerações dos animais e nos horários mais movimentados. Há outras doenças que comprometem as vias respiratórias dos cães como a (paramixovírus) e a infecciosa canina (adenovírus). “Além disso, os cães podem apresentar quadros respiratórios alérgicos que também se manifestam com tosse e, nessa época do ano, com a diminuição da umidade relativa do ar, tornam-se mais suscetíveis a complicações como pneumonias”, afirma Sílvia Ricci.

Marcia afirma que os gatos normalmente têm rinotraqueíte. “Estando o animal , a recomendação é evitar corrente de ar, choque térmico na saída do banho, por exemplo”, diz. A doença pode apresentar sintomas leves até quadros mais graves. “Os quadros mais graves podem ainda ser complicados pela infecção concomitante com outros vírus como o da leucemia felina e o da felina (duas viroses que levam a quadros de adquirida)”, diz Sílvia Ricci.

Para tratar a gripe podem ser indicados simplesmente repouso acompanhado da ingestão de vitaminas, antibióticos e até uma internação.

Veja como prevenir as doenças respiratórias dos animais:

Sintomas
Tosse, espirros, secreção nasal e ocular que varia de serosa (aquosa) a mucopurulenta (espessa, amarelada), olhos avermelhados, diminuição do apetite, febre e prostração.

Prevenção
– Deixar os animais, principalmente os cães de grande porte, em locais protegidos nos dias mais frios, especialmente durante a noite;

– Vacinação com acompanhamento profissional, para que o veterinário avalie a necessidade das vacinas e o intervalo entre as aplicações;
– Utensílios como comedouros e bebedouros devem ser individuais;
– Lavar as mãos após o trato de cada animal;

– Banhos apenas quando necessário (nos horários mais quentes do dia, com água morna e secagem com secador);

– Em canis e gatis, animais com secreções oculares, nasais e espirros devem ser isolados dos sadios e tratados até sua completa recuperação.

Como evitar que seu animal fique gripado foi modificado pela última vez: agosto 22nd, 2016 por Alexandre Domingues
Anterior

Seu pet precisa de mais atenção no inverno

Próxima

Primeiros socorros para cães e gatos podem salvar a vida do seu mascote