1
Shares
Pinterest Google+

Segundo veterinário, além de acalmar os animais, a evita uma série de e acidentes que podem ocorrer durante o fértil.

Quem mora em residências mais fechadas e dispõe de pouco espaço para criar seu pet, sabe que a dos bichinhos as vezes não pode ser evitada. Mas alguns procedimentos podem acalmar o seu animal. O médico veterinário Vinicius Tolentino esclareceu algumas dúvidas em relação à castração, um método que, além de acalmar seu gato ou cachorro, pode evitar que alguns acidentes aconteçam, principalmente durante a época do cio.

A castração é carregada de mitos e verdades, segundo Vinicius Tolentino; explicações como as que os animais ficam mais tristes por conta da inibição ou que a fêmea precisa ter pelo menos uma ninhada de filhotes antes de realizar o para que o animal se sinta feliz, dentre outras tantas histórias, não passam de mito.

“No caso dos felinos, o principal motivo para realizar a castração é para evitar a saída deles.
Geralmente, o gato ou a gata que não são saem muito para marcar , para procurar , e, nessas saídas, podem acontecer atropelamentos, acidentes e . Por isso é bom para evitar essa vida boêmia, já que a libido do animal diminui”, explicou o veterinário.

E não são só os gatos que podem ser castrados; Vinicius Tolentino conta também que a castração de cachorros evita uma série de complicações, e principalmente evita a prevenção de doenças como de próstata, para os machos, e para as fêmeas evita infecções no útero, de mamas e de ovário. ”A castração vale para os dois. Os cães ficam menos , menos possessivo e menos ciumento com relação ao dono; para os cães machos, evita que eles fiquem marcando território e, por isso, não urinam em vários locais da casa”, disse.

Segundo o veterinário, a castração hoje é realizada por procedimento cirúrgico. Existem várias técnicas, uma delas é feita uma incisão na bolsa escrotal e é retirado os no caso dos animais machos. Com fêmeas é feito uma incisão na abdominal e depois retirado o útero e os ovários. Ainda de acordo com o médico, é preciso se atentar o aos com o animal , e principalmente com depois da recuperação cirúrgica.

Anterior

Conversar com animais de estimação é normal, afirma especialista

Próxima

Cachorro lambendo a pata sem parar? Entenda os motivos e o que fazer