Deve-se levar os animais de estimação em passeios de família?

cao_viagemEm casa, na rua, no sítio ou na praia, não importa o lugar os animais de estimação estão sempre por perto como fiéis companheiros da criançada. Especialistas afirmam que cada um dos bichinhos, independente de suas características, tem papel importante na socialização da criança, pois estimula o desenvolvimento do afeto e responsabilidade.

Com a chegada das férias, o Bob, a Layla, o Fred, o Loro e todos os animaizinhos têm lugar garantido nas viagens. Entretanto, alguns passeios são limitados e podem resultar em prejuízo.

Em algumas regiões do litoral existem leis que proíbem a circulação nas areias e se não respeitadas acabam em multa. O problema é a facilidade de transmissão de doenças – toxoplasmose, micose e bicho geográfico – pelas fezes, acidentes e mordidas.

“Como não é possível haver um controle sobre a vermifugação dos pets, e como nem todos os proprietários recolhem as fezes dos animais, a legislação brasileira prefere restringir a circulação dos animais nesses espaços”, explica o Diretor Clinico do Hospital Veterinário Pet Care, Marcelo Quinzani.

Os mimosos gatinhos causam preocupação na disseminação da toxoplasmose, pois podem ser infectados pelo parasita causador da doença ao comerem passarinhos e pequenos animais contaminados e depositarem as fezes na praia. “As crianças estão ainda mais vulneráveis porque, ao brincarem, acabam tendo um contato ainda maior com a água e a areia e eventualmente levam a mão contaminada à boca”, lembra o veterinário.

Já com os cães, o risco é a proliferação do ‘bicho geográfico’ – causado pelo parasita ancylostom, que habita o intestino desses animais que não são vermifugados periodicamente. “A vermifugação é extremamente importante para manter sua saúde e bem-estar e para que o cãozinho não passe a oferecer riscos aos seus donos”, ressalta.

release-dicas-de-ferias-guabi-petrede

Dicas para passar as férias acompanhadas do bichinho de estimação:

• Leve seu animal para uma consulta ao veterinário pelo menos dois dias antes da viagem;

• Fique atento a higiene, alimentação do animal;

• Evite levar os animais para a praia, o calor e a umidade da areia são propícios para a formação de vários vermes prejudiciais ao homem;

• Evite também a contaminação e doença aos próprios animais. A água do mar, por ser muito contaminada, também é nociva para os bichos, e pode causar a otite (inflamação do ouvido);

• Atente-se ao transporte dos animais. Carregue-os em caixas apropriadas;

• Ande sempre com o animal preso prela guia, em locais permitidos, como o calçadão das praias;

• Dê vermífugos ao animal a cada seis meses;

• Ande com sacolas para recolher as fezes dos bichos em locais públicos;

• Lembre-se, o responsável pelos prejuízos é sempre o proprietário do animal. Não descuide de seu companheiro.

Você pode gostar...