0
Shares
Pinterest Google+

A Câmara analisa o de Lei 684/11, do deputado Weliton Prado (PT-MG), que torna o uso de de animais silvestres, domésticos ou domesticados, sejam eles nativos ou exóticos, em eventos de no . A pena prevista é de reclusão de um a três anos e .

O projeto acrescenta artigo à Lei de Crimes Ambientais (9.605/98). Para o autor, a criminalização do uso de pele de animais nas passarelas é uma forma de coibir o do .

Prado lembra que o comércio de peles já é proibido nos Estados Unidos e na Itália desde 2000. A União Europeia proíbe o comércio de produtos oriundos de pele de cães e gatos.

“O uso de peles verdadeiras enseja a prática de crueldades que causam sofrimento intenso nos animais”, afirma. “Existem vários outros produtos que atendem o inverno brasileiro, como o tricô e as peles sintéticas, que são mais leves, mais duráveis e práticas para cuidar”, complementa.

Tramitação
O projeto será analisado pelas comissões de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável; e de Constituição e Justiça e de Cidadania. Depois, seguirá para o Plenário.

Íntegra da proposta: PL-684/2011

Autor: Lara Haje / Daniella Cronemberger
Fonte: Agência Câmara de Notícias
Anterior

Após reportagem, casal de filhotes furtado é devolvido à família

Próxima

Aquário de Santos é referência nacional no tratamento de animais

  • Petra

    Antes de falar sobre esse surpreendente post, irei elogiar a magnífica qualidade do seu blog. Precisava mesmo conhecer mais sobre isso e você produziu uma grande fonte de informações aqui. Continuarei seguindo seu blog enquanto permanecer com o magnifíco trabalho. Meus cumprimentos!