0
Shares
Pinterest Google+

industrializados para animais de estimação poderiam estar, indiretamente, deixando crianças doentes nos , segundo relatório do que detalha o primeiro surto conhecido de em humanos – principalmente entre crianças pequenas – relacionado a de cães e gatos.

O surto atingiu 79 pessoas em 21 Estados americanos, principalmente no leste do país, entre 2006 e 2008. Quase metade das eram crianças abaixo de 2 anos.

Rações secas para animais domésticos são uma fonte pouco reconhecida de por em humanos, e é provável que elas provoquem outras , disse Casey Barton Behravesh, principal autor do relatório e pesquisador do Centro de Controle e de Doenças (CDC, na sigla em inglês) dos Estados Unidos.

Pelo menos seis recalls de ração foram emitidos este ano pelos fabricantes por causa de uma possível contaminação por salmonela, segundo a FDA (agência que fiscaliza alimentos e medicamentos nos ). O porta-voz da entidade, Ira Allen, disse que não foram relatados casos de salmonelose associados a rações desde o surto de 2006 a 2008.

A revista médica Pediatrics publicou nesta segunda-feira, 9, um relatório na internet sobre a . Não foram relatados casos humanos de salmonelose relacionados com ração animal.

Parece que o surto foi causado por uma encontrada em diversos tipos de alimentos secos para cães e gatos fabricados pela Marte Petcare, na . Os tipos incluem as marcas populares e Kitty Especial.

Ainda que as crianças pequenas sejam geralmente as mais atingidas, não há provas que demonstrem que ela ficaram doentes por comer alimento animal industrializado, afirmou Behravesh. Provavelmente, elas se infectaram ao tocar animais contaminados ou pratos sujos de comida e, em seguida, pôr a mão na boca.

Os sintomas da salmonelose incluem e diarreia com . Pelo menos 11 pessoas foram hospitalizadas e ninguém morreu.

Não há relatos de animais doentes, mas os pesquisadores encontraram bactérias de salmonela nas de animais domésticos sem sintomas que comeram alimentos com bactérias.

Fonte: Estadão
Anterior

Veterinários reclamam das dificuldades para comprar e transportar medicamentos

Próxima

Leishmaniose visceral se aproxima da capital paulista