0
Shares
Pinterest Google+

Os pets tornaram-se verdadeiros membros da família e os donos não medem esforços para o bem-estar de seus companheiros. Às vésperas do Dia do Veterinário, comemorado em 9 de setembro, a ressalta a importância uma relação de confiança entre o proprietário e o médico veterinário eleito para cuidar de seu animal de estimação.

Apenas o veterinário tem o conhecimento suficiente para uma visão completa das necessidades dos pets, sejam relacionadas à cotidiana, a ou ao animal. Só um olho treinado poderá detectar certos sintomas, pois alguns sinais costumam ser sutis.

A médica veterinária da PremieR pet, Keila Regina de Godoy, explica que doenças diagnosticadas no início garantem maior longevidade ao pet, já que de maneira geral, elas são progressivas e podem ocasionar danos e alterações irreversíveis. “Para isso, visitas rotineiras ao veterinário são imprescindíveis e devem ser feitas ao menos uma vez por ano. Elas ajudam no diagnóstico precoce e na criação de um padrão de normalidade para avaliação do profissional.”

Diante disso, as mínimas alterações poderão ser percebidas e avaliadas muito antes do que em animais que não possuem um histórico de check-ups, o que aumenta as chances de cura de um cão ou gato doente. A medida também auxilia no controle de enfermidades sem tratamento.

“A relação entre os proprietários e seus pets vem se tornando cada vez mais próxima. O amor e carinho dedicado aos animais tem gerado uma intensa necessidade de dar a eles o máximo em cuidados de saúde e bem estar. O médico veterinário vem exatamente ao encontro a essas necessidades de qualidade de vida, agregando conhecimentos técnicos que permitem ampliar ao máximo o tempo de relação entre os pets e seus donos. É uma oportunidade para que ambos desfrutem ao máximo, e da melhor forma, este amor incondicional”, observa Keila.

Áreas de atuação
A atuação na área clínica é uma das opções mais comuns, e a especialização torna-se cada vez mais necessária: cirurgia geral, ortopedia, fisioterapia, diagnóstico por imagens, dermatologia, oncologia, reprodução, nutrição, oftalmologia, cardiologia, etc entre outras.

Além disso, é crescente a procura por médicos veterinários especialistas em medicina complementar como fisioterapia, acupuntura e homeopatia.

As áreas técnicas e comerciais de empresas especializadas também têm sido campo para os veterinários. Eles não apenas cuidam diretamente da saúde dos bichinhos, como também, atuam nos bastidores sempre em busca de melhores condições de vida e alimentação para os pets.

O profissional pode ainda atuar em saúde pública como agente da vigilância sanitária ou em órgãos que elaborem e comandem as campanhas de erradicação e controle de zoonoses. Já no setor privado, além das indústrias voltadas à área, o veterinário pode trabalhar como responsável pela higiene e inspeção sanitária de estabelecimentos que trabalhem com produtos de origem animal.

Você sabia?
De acordo com o Código de Ética do Médico Veterinário, o profissional deve:
· exercer a profissão com o máximo de zelo e o melhor de sua capacidade;
· denunciar às autoridades competentes qualquer forma de agressão aos animais e ao seu ambiente;
· empenhar-se para melhorar as condições de saúde animal e humana e, ainda, os padrões de serviços médicos veterinários;
· usar procedimentos humanitários para evitar sofrimento e dor ao animal;
· defender a dignidade profissional, quer seja por remuneração justa ou por condições de trabalho compatíveis com o exercício ético profissional da Medicina Veterinária em relação ao seu aprimoramento científico.

Anterior

Estudo elege gato esfinge como a raça mais afetuosa com humanos

Próxima

Mau comportamento pode ser resolvido com ajuda de profissional que "adestra" bicho e dono