0
Shares
Pinterest Google+

As pessoas estão acostumadas a ler notícias e ver seriados de TV sobre investigações policiais de assassinos em séries de humanos, mas e os serial killers de animais?

Existem casos no mundo todo. Um exemplo são os 40 cisnes mortos por humanos em Somerset, , nos três primeiros meses deste ano. Há dez dias, quatro homens foram presos por atirar em oito gansos. E na semana passada, um homem foi preso na por matar um ganso com uma arma.

Outra constante na Inglaterra são os gatos. Contudo, desde 1980, centenas, talvez milhares de cavalos foram golpeados, mutilados e (pasmem) abusados sexualmente naquele país. Até um pônei foi violentado sexualmente e depois esfaqueado até a morte.

Quando não há testemunhas, estes casos dificilmente são resolvidos. “É complicado quando se tem apenas o animal morto e nada mais para continuar”, diz a promotora Andy Shipp.

Os oficiais de geralmente seguem os procedimentos comuns. Na cena do , eles tiram fotos e tentam recolher evidências forenses a procura de impressões digitais e amostras de DNA. Ela se lembra do caso de uma vaca que foi encontrada viva com uma flecha atravessada em sua cabeça. Os investigadores encontraram DNA em outra flecha que havia sido largada no campo e identificaram um jovem, que foi preso.

Um exame post-mortem é conduzido por um veterinário para determinar a causa da morte, apesar de não averiguarem detalhes como, por exemplo, qual veneno teria sido usado. Os policias batem de porta em porta em busca de testemunhas e, se tudo falha, eles fazem um apelo por meio da imprensa. Em casos extremos, como o dos cisnes de Somerset, a Sociedade Real pela Prevenção da Contra Animais (tradução livre para Royal Society for the Prevention of Cruelty to Animals – RSPCA) trabalha lado a lado com a polícia.

A RSPCA também tem uma unidade de operações especiais, com técnicos forenses. De acordo com o superintendente da unidade, Barry Fryer, a ciência forense está sendo cada vez mais necessária. “Se um homem tem sangue de texugo em seus jeans nós podemos comparar com o do animal da cena do crime”. Terra nos sapatos também pode ligar alguém ao local do crime, assim como pólen.

Mas a maioria das investigações não usa alta tecnologia, diz o investigador da RSPCA, Simon Evans. “Nós apenas esperamos que o assassino tenha cometido um erro e deixado DNA para trás. Quando conseguimos que alguém nos dê qualquer informação é uma grande sorte”.

Em 12 anos, ele acredita ter conseguido prender uma dúzia de pessoas. A maioria dos crimes fica sem solução. Além disso, a pena máxima para os acusados de crueldade animal é de seis meses. A motivação para tanta crueldade nem sempre é clara, mas muitas vezes os culpados são fazendeiros descontentes ou jovens. Dados de 2009 mostram que, na Inglaterra, naquele ano, 32 aves de rapina foram mortas a tiros e 81 envenenadas.

É uma pena que não haja uma equipe estilo CSI para caçar os culpados de tanta crueldade, afinal, ao contrário dos seres humanos, os animais têm poucos ou nenhum meio para se defender.

Autor: Letícia Resende
Fonte: HypeScience
Serial killers de animais: o que fazer com essas pessoas? foi modificado pela última vez: janeiro 30th, 2014 por Alexandre Domingues
Anterior

Cachorro sobrevive a 40 tiros na cabeça

Próxima

Gato e coelho brincam de pega-pega

  • Salete Verrone

    Pode ter sido baixo o numero de casos resolvidos e pessoas condenadas pelos crimes contra animais na Inglaterra, mas pelo menos eles tem esperança que algo seja feito, ao contrário do q acontece aqui no Brasil, onde, mesmo q se prove a crueldade e os culpados, acaba não dando em nada. Também, o q podemos esperar de um país que não pune nem os assassinos bebados que matam pessoas no transito diariamente. Aqui é o país do “OBA OBA”. Depois ficam ofendidos quando alguem de outro país sai falando mal do Brasil.

  • suely bischoff machado de oliveira

    Olá.Boa tarde!Crueldade para com animais é um traço marcante de um transtorno psicológico severo.Beira o sadismo, a inoperancia, a frustração,etc.O indivíduo que não sabe lidar com perdas e frustrações, desconta e descarrega a sua fúria, num pobre animal indefeso.Ele não sabe gerenciar suas emoções e usa um animal como fonte de vingança da sua própria incapacidade.Ele mata a sí mesmo no corpo do outro.É ambivalente,mas é como uma mente desregulada funciona.