0
Shares
Pinterest Google+

O fim do ano está chegando e muitas pessoas aproveitam essa época para . Mas, ter um animal de estimação, nessa hora, pode acabar atrapalhando os planos.

dog-car

Se o meio de da for um carro, algumas medidas devem ser tomadas para que a não afete a de seu pet, principalmente se ela for longa.

Primeiramente, antes de realizar uma viagem, é necessário o animal passar por uma completa, atualizar as e aplicar um e para evitar .

Durante a viagem, cuidados com a , e a necessidade de algumas paradas são cuidados que não podem ser deixados de lado.

Pelo fato de não estar acostumado a longas viagens ou até mesmo a andar de carro, é preferível que o animal esteja em durante o passeio. É recomendável alimentá-lo somente duas horas antes da viagem.

Além disso, o proprietário não pode esquecer que o cão precisa fazer suas necessidades fisiológicas, portanto, antes de iniciar o percurso e parar de hora em hora é o suficiente para que ele se sinta tranquilo durante toda viagem e também para que o carro não suje.

Para evitar vômitos e a desidratação do animal, os donos precisam levar vasilhas com água e fornecer várias vezes e em pouca quantidade ao pet. Outra dica importante é manter a temperatura e a ventilação constante do veículo para evitar que a temperatura do animal se eleve.

É preciso também deixar que o animal desfrute de todo o espaço disponível dentro do veículo, pois ele precisa se movimentar, sem com isso colocar em risco a atenção do condutor do carro.

Vale lembrar que o Código Brasileiro de Trânsito impede que motoristas transportem seus animais à esquerda ou entre os braços e pernas. A infração, considerada média, está prevista no inciso II artigo 252 e pode levar multa de R$ 85,13 e perda de quatro pontos na carteira.

Caso o animal seja transportado na parte externa do veículo, a infração se torna grave e o veículo é retido pelas autoridades.

Fonte: Ribeirao Preto Online
Viajar de carro com seu animal de estimação é possível, basta ter cuidado foi modificado pela última vez: maio 21st, 2014 por Alexandre Domingues
Anterior

Em meio à crise, mercado de animais encontra espaço para crescer

Próxima

Perlla compra uma calopsita

  • Olá Muito legal vc trazer estas dicas.É isso aíiiiiiii Viajar c/ peludinhos e ou emplumadinhos é 1 treino de paciencia e de cuidados especiais. Eu, por ex. já viajei por muitos anos, num vai e vem, entre SP e Águas de Lindóia, c/ nada + ,nada – do q. 6 peludinhos felinos.
    Porém, tds eles alojados em casinhas de transporte com jornal,água e muito carinho.
    Alguns deles iam bem, outros porém, ficavam bastt estressados e faziam estripulias como roer td o jornal, miavam,faziam + xixi do q. o normal, etc….Aos poucos foram se estabilizando, e conseguiam dormir e ficar + tranquilos e se comportar melhor.
    Os vidros do carro eu deixava fechados, só c/ 1 frestinha.Após fazerem as suas necessidades,eu parava o carro,limpava a casinha,trocava o jornal. Mas td isto com extremo cuidado, ao abrir a porta do carro, eu colocava 1 guia no pescoço do meu gato. Minha mãe dirigia o carro, assim eu podia trabalhar c/ + tranquilidade na higiene deles.
    abs