Zoófilos protestam contra criminalização do bestialismo

Um grupo de zoófilos alemães reuniu-se em Berlim para protestar contra uma nova lei aprovada hoje, que vai punir os atos de bestialidade.

Michael Kiok adotou há sete anos a cadela Cissy, e assume que mantém uma relação de zoofilia com o animal. Kiok juntou-se a outros cidadãos na Potsdamer Platz, em Berlim, para protestar contra a nova lei, que criminaliza este tipo de prática cruel.

“Nos sentimos como criminosos. Isto é tudo por causa dos fanáticos defensores dos direitos animais que pensam que nós magoamos os nossos companheiros”, alega.

No final do ano passado, a câmara baixa do Parlamento alemão tornou a bestialidade crime punível com multas de até 25 mil euros, e a câmara alta subscreveu a assinatura, como parte de um pacote legislativo que visa reforçar a proteção aos animais.

“Vamos recorrer às mais alta instâncias jurídicas”, assegurou Kiok. O amante de cães afirmou que o grupo com quem estava (todos homens) era totalmente composto por pessoas que estavam numa “relação mutuamente benéfica” com os seus companheiros animais, e que não eram “abusadores de animais”, como se costuma pensar.

Outro manifestante apresentava-se com um cartaz vermelho onde se lia ZETA, sigla de Zoophiles Engaging for Tolerance and Enlightenment (Zoófilos pela Tolerância e Esclarecimento, em tradução livre).

O governo alemão fez um levantamento dos animais que são assassinados, todos os anos, e que estão relacionados à crimes de bestialismo. O resultado é um número alarmante: 500 mil animais são mortos na sequência de abusos sexuais.

Os manifestantes argumentam que os moralistas passam uma imagem distorcida dos zoófilos, que “abusam” de animais. “Não podemos fazer nada sobre sermos zoófilos, por isso estamos tentando levar as nossas inclinações sexuais de forma responsável”, alegam.

Fonte: Diário Digital

Nota da redação: Isso é um total absurdo! A crueldade aos animais se inicia quando qualquer processo adverso à sua natureza e que cause sofrimento é dedicado ao animal. Estes pobres bichos não necessitam do relacionamento humano, ao contrario, este tipo de contato é totalmente desnecessário, doloroso e cruel. A opção do bestialismo não parte dos animais, mas sim do humano que, mais uma vez, considera sua propriedade um ser independente e que sofre os abusos e a exploração.  A impunidade era o que movia estes indivíduos à continuar com essa pratica abominável, e agora, com a proibição, eles querem legalizar a pratica que maltrata, explora, marca e assassina milhares de animais. Não há como considerar esta prática cruel e abusiva como uma opção, assim como é impossível considerar qualquer prática, perversa e imposta violentamente à um ser, uma “inclinação sexual”. Tudo o que causa sofrimento, dor e morte à animais, humanos ou não humanos, que não possuem, seja por que motivo for, a capacidade de evitar ou se defender de tal ato perverso e violento, deve ser considerada crime, e como tal ser punida vigorosamente. A zoofilia é mais um meio que o homem encontrou para humilhar e subjugar os seres mais vulneráveis. Deprimente e digno de cadeia.

3 opiniões sobre “Zoófilos protestam contra criminalização do bestialismo”

  1. Concordo com a Sra. Suely.
    Pessoas que cometem atrocidades com animais devem ser punidos, ato insano!! fico perplexa com atitudes assim. É necessário um posicionamento criminal dos governantes quanto à temática. Crueldade com animais indefesos….absurdo! parabéns Alemanha!!!

  2. Olá.Boa tarde.Parabéns à Alemanha por criminalizar atos insanos de relação sexual de homens com animais.Não tem nada de natural nestes atos e nem é  benéfico aos animais, muito pelo contrario, é a força do forte sobre um animal indefeso.É o mais anormal e cruel ato cometido contra um animal.É totalmente insano, vide CID 10°ed, como se classificam as desordens mentais.Fico penalizada com o sofrimento destes animais que pensam ter um bom dono e são obrigados a  atos como sodomias.

Deixe uma resposta