0
Shares
Pinterest Google+

Independente por natureza, a não gosta de viver engaiolada. A menos que o dono a acostume desde filhote assim, presa. Mas, no caso, se um dedo atrevido se insinuar por entre as grades para arriscar um carinho em seu , é de esperar uma boa bicada. “O da calopsita reflete o que ela recebe”, explica Marta Brito, veterinária de São Paulo.

“Se ninguém lhe dá atenção, ela fica nervosa mesmo e pode até atacar.” Daí a fama de hostil. No entanto, se o dono tiver paciência para treiná-la, vai se surpreender com suas . Mais do que cantar e assobiar, algumas até aprendem a falar, tal sua capacidade de imitar sons. Para que ela circule pela casa sem perigo de voar para bem longe, é preciso cortar a parte interna de uma das asas – procedimento que, bem entendido, só o pode fazer. E então, no máximo, ela vai ensaiar pequenos vôos rasantes.

A calopsita – que normalmente tem pelagem branca, amarela ou cinza – vive em média dez anos. Os que ela requer são básicos. “Em geral, basta uma visita anual ao ”, diz o veterinário Celso Martins, em aves. Isso, em parte, explica por que anda cada vez mais comum ver gente desfilando por aí com a ave encarapitada no ombro.

Cuide bem da sua calopsita
· Providencie uma bacia de barro envernizado, com 5 cm de altura e 15 cm de diâmetro, para o banho.

· Lave diariamente o , o e o comedouro com água e sabão

· Se quiser que sua calopsita fique solta, evite objetos pequenos e brilhantes espalhados pelo caminho, porque eles despertam a sua curiosidade e acabam ingeridos.

· Um é pouco, dois é bom. Sua calopsita vai gostar de ter uma companheira para não se sentir solitária.

· Ofereça ração para aves (existe uma exclusiva para a calopsita), além de frutas e legumes crus.

Anterior

Adestramento melhora as habilidades

Próxima

Ciência comprova que animais são colaborativos