Calopsitas – O preço do sucesso

Graças a popularização das calopsitas elas estão sofrendo pela ação de pessoas inescrupulosas que visam somente o lucro as custas da vida dessas maravilhosas aves.

Em muitos lugares onde deveriam existir criações o que existem na realidade são verdadeiras plantações de aves onde o filhote ainda sem penas ou os chamados cartuchos, quando as penas começam a aflorar na pele,  já são recolhidos para venda.

calopsita-mansa-close-petrede

O filhote da calopsita, assim como deve acontecer com a maioria dos filhotes, precisa ser alimentado pelos pais durante um período mínimo para junto com este alimento receber também todas as substâncias importantes para o seu desenvolvimento e longevidade, questionando alguns veterinários e criadores não houve consenso entre o período exato que um filhote deve ficar com os pais antes de poder ser seguramente separado para ser vendido ou amansado, mas o período varia entre 30 e 60 dias. Claro que o ideal é deixar o maior tempo possível.

Sendo assim teremos filhotes recolhidos antes do tempo mínimo para suprir a demanda colocando no mercado aves  com a sua saúde comprometida, uma calopsita saudável pode viver até 25 anos.

Se você não conhecer o criador não tem como saber se a ave foi corretamente tratada correndo o risco de ter uma ave que morrerá prematuramente.

Devido a isso as calopsitas ariscas, que não permitem contato humano, costumam viver mais, pois normalmente vivem com os pais por mais tempo.

Comentários

Você pode gostar...