Associação: Metrô de SP prefere atropelar cães a atrasar viagens

A Associação dos Operadores de Trem do Metrô de São Paulo prestou queixa ao Ministério Público em abril em que afirma que os funcionários são orientados a seguir viagem mesmo que animais estejam nos trilhos. Segundo o documento, o grande número de atropelamentos de cães nas linhas do Metrô se deve ao fato de os operadores se sentirem pressionados a não esperar que os animais sejam retirados do caminho, para evitar atrasos. A queixa motivou a abertura de um inquérito policial na Delegacia de Crimes Ambientais. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

De acordo com a categoria, o Metrô “reiteradas vezes tem desrespeitado a legislação ambiental ao determinar e mesmo pressionar os operadores de trens para que atropelem cachorros que estejam nas vias”. A associação afirma que a orientação é passada quando os trens estão parados e um condutor alerta para a impossibilidade de prosseguir devido a cães nos trilhos. Em vez de deslocar algum funcionário da estação para retirar os animais, a prioridade seria não perder tempo e avançar com a composição, provocando atropelamentos que não são registrados pela empresa, de acordo com o documento. Procurado, o Metrô não comentou as acusações, segundo o jornal.

Nota: Com certeza para os cachorros não tem nenhuma plaquinha escrito “O Metrô fica melhor com você”.

Você pode gostar...