0
Shares
Pinterest Google+

O Yale Sabo Mendes, do Juizado Especial Cível de , condenou em primeira estância um a indenizar com R$ 2 mil a Ana Carolina Vianna Stábile, que adquiriu um cachorro da raça com sem cura.

Segundo a , a cliente comprou, em maio do ano passado, por R$ 1.000, uma da raça Shi Tzu. A de dois meses estava com “doença do ”, que debilita o animal a ponto de lhe causar a morte.

No , a conta que foi várias vezes ao petshop, porém a proprietária sempre informava que a cadela não tinha algum. Ela levou a cadela em um outro petshop, onde foi a doença e dado início ao .

Dano moral
Mesmo diante do diagnóstico, segundo a ação, a proprietária do Petshop manteve-se irredutível, afirmando que não havia nada de errado, que possivelmente estaria somente com vermes, receitando vermífugo.

Pelo carinho que já tinha pelo animal, Ana Carolina resolveu pagar todas as despesas e conviveu, diariamente, com as crises da cadela. Hoje, com um ano e dois meses, a já passou por mais de três cirurgias, inclusive a retirada do útero.

O juiz decidiu que o moral experimentado pela dona da cadela deve ser ressarcido numa soma que, não apenas compense a ela a dor e o causado, mas especialmente deve atender às circunstâncias do caso, tendo em vista as posses do ofensor e a situação pessoal do ofendido.

“Diante da doutrina e da jurisprudência, decreto a revelia da parte ré e, julgo parcialmente procedente o pedido inicial, e condeno a Reclamada pagar a vítima o valor de R$ 2 mil reais pelos danos morais e materiais já inclusos, acrescido de juros legais e correção monetária a partir do presente decisum”, afirma o juiz em sua decisão.

Outro lado
Procurado para falar sobre o assunto, o petshop apenas afirmou que já recorreu da decisão.

Fonte: Midia News

Comentários

Anterior

Supeito morde o cachorro da polícia nos EUA

Próxima

CCZ apreende filhotes de cães e gatos em comércio ilegal