Cão condenado à morte por tribunal judaico

Um tribunal judaico de Jerusalém condenou um cão vadio à morte por apedrejamento, por acreditarem que era a reencarnação de um advogado que insultou juízes do mesmo tribunal.

De acordo com o site de notícias israelita Ynet, o cão entrou há algumas semanas no tribunal – composto por rabinos – e não sai de lá, e um juiz lembrou-se de uma maldição lançada a um advogado já morto.

Na ocasião, há cerca de 20 anos, os juízes do bairro ultraortodoxo de Mea Shearim desejaram que o espírito do advogado entrasse no corpo de um cão – animal tido como impuro no judaísmo tradicional –após ter proferido insultos.

Depois da sentença, o cão conseguiu escapar do prédio do tribunal antes que a condenação fosse levada a cabo, afirma o Ynet.

Segundo relatos, um dos juízes do tribunal pediu às crianças da localidade que encontrassem o animal e executassem a sentença. Devido ao caso, uma organização de proteção de animais apresentou queixa na polícia.

Segundo o site Ynet, o tribunal nega que os juízes tenham condenado o cão à morte.

No entanto, um representante disse ao jornal Yediot Aharonot que o apedrejamento foi ordenado como uma “maneira apropriada para ‘se vingarem’ do espírito que entrou no pobre cão”.

Estes tribunais tem o poder de julgar questões religiosas em Israel e em algumas outras comunidades ultraortodoxas pelo mundo.

Fonte: Sol

3 opiniões sobre “Cão condenado à morte por tribunal judaico”

  1. Olá.Boa tarde!Mas que atitude esdrúxula destes humanos………….Pobrezinho do peludinho.Com certeza ele era o único são neste tribunal de insanos.