0
Shares
Pinterest Google+

O Ministério Público de entrou nesta segunda-feira com uma ação civil pública contra a enfermeira Camilla Correa Alves de Moura Araújo dos Santos, acusada de agredir e matar um cachorro da raça no fim do ano passado em Formosa. O promotor Heráclito D’Abadia Camargo pede que ela seja condenada a pagar por dano moral de, no mínimo, R$ 20 mil, a ser revertido ao Fundo Municipal do Meio Ambiente da cidade.

Segundo afirma Camargo na ação, “a comoção social provocada pelo lamentável episódio impõe a necessária responsabilização da enfermeira pelos danos morais coletivos causados, como forma de desestímulo aos de animais e incentivando conduta diversa, sendo este o objeto da ação”.

O promotor argumentou ainda que as imagens foram veiculadas na internet e geraram grande repercussão nas redes sociais e na mídia nacional, fazendo com que várias pessoas se manifestassem e protestassem contra a agressora. Na ação, Camargo cita a página eletrônica www.peticaopublica.com.br, que promoveu um abaixo-assinado que resultou em 401.836 assinaturas pedindo providências contra Camilla Santos.

O Terra entrou em contato com o advogado da enfermeira, Gilson Afonso Saad, mas ele ainda não se manifestou.

Essa é a segunda ação que o Ministério Público move contra Camilla Santos. Em fevereiro, o órgão ofereceu denúncia criminal contra a enfermeira, acusando-a de crime ambiental (por maus tratos a animais) e por delito previsto no artigo 232 do Estatuto da Criança e do Adolescente, quando o acusado submete criança ou adolescente sob sua autoridade, guarda ou vigilância a vexame ou a constrangimento.

O caso ocorrido em Fomosa repercutiu nacionalmente depois que um vídeo mostrando a agressão circulou na internet. Nas imagens, gravadas da janela de uma casa vizinha, Camilla Santos é mostrada chutando e batendo no cachorro com a ajuda de um balde. A filha da enfermeira, de um 1 ano e meio, aparece assistindo às agressões. O cão, que tinha 4 meses, não resistiu aos e morreu.

Fonte: Terra
Anterior

Cresce denúncias contra maus tratos de animais

Próxima

Gato sobreviveu a queda de 19 andares em Boston

  • Susi

    Se uma enfermeira faz isso com animais, imagine com os doentes n
    os hospitais. Espero que ninguem mais dê emprego a essa monstra.

  • suely bischoff machado de oliv

    Olá.Bom dia. Esta enfermeira assassina deveria é pagar e muito à sociedade.Ela não só infringiu a lei ambiental, como também a social e a psicológica.Imagina só o que ela pode vir ainda a fazer.E não adianta tentar se justificar no injustificável.Se tem problemas e transtonos mentais, isso não a exclui de ser responsabilizada pelo ato hediondo, cruel e bárbaro cometido e filmado.Ela sabia exatamente o que estava fazendo. Sua filha(pobre coitada em ter uma mãe assim!)de 1ano e pouco, pode sim, vir a ter gravado no seu inconsciente esta dramática cena.Fica tudo registrado, mesmo na mais tenra idade.As crianças têm a 1ºangústia aos 8 meses aproximadamente.Esta criança pode ao longo da vida,vir a querer copiar o que viu a mãe fazendo.As crianças agem por imitação.Alguns psicólogos acham que não houve dano algum a esta criança, o que discordo literalmente e integralmente.Desejo que a promotoria faça justiça e não deixe o tempo passar…………….