Seu cão vai votar em quem?

Um juiz de Federal Way, no Estado americano de Washington, decidiu que uma mulher que havia registrado seu cachorro de estimação para votar já passou tempo suficiente envolvida com a Justiça.

Jane Balogh foi acusada de falso testemunho por ter registrado seu animal de estimação como um eleitor.

Na última segunda-feira, o juiz retirou as acusações que pesavam contra ela, após a comprovação de que ela já pagou US$ 240 em custas processuais e de que concluiu um período de trabalhos comunitários.

Jane disse que registrou Duncan, para protestar contra uma brecha na legislação que torna o registro tão simples que qualquer pessoa – ou animal – pode se tornar um eleitor.

Ela alegou não ter mantido segredo sobre o registro, contando às pessoas que seu cão havia se tornado um eleitor. Jane assegurou também que Duncan nunca chegou a votar.

Não corremos o risco dessa moda pegar por aqui, já que somos obrigados a votar na chamada democracia brasileira, mas é bom tomar cuidado pois com certeza isso vai dar idéia pra muito político distribuir ração por ai…

Deixe uma resposta