0
Shares
Pinterest Google+

A de , a 244 km de São Paulo, investiga o de dois de cachorros que seriam trocados por em pontos de tráfico na periferia da cidade. Em um dos casos, os donos de um filhote de poodle tiveram que pagar resgate aos , que teriam aceitado o animal como de um usuário.

“Não foi fácil entrar em um ambiente que não conhecemos, mas pensamos no bem estar do

animal. Entramos e resgatamos o cachorro para que ele pudesse voltar para seus donos”, disse Maria Cecília Altenhofen, voluntária da Associação de Proteção aos Animais (APA), que foi buscar o filhote no ponto de tráfico.

A Polícia Militar e a Guarda Civil Municipal estão empenhadas para aumentar a , para combater a prática. De acordo com a representante da APA, os proprietários de filhotes precisam ter mais atenção onde deixam seus animais. “O filhotinho não está preparado para fazer segurança e nem se defender. Ele não deve ficar em um local, como próximo a portões, que possa ser levado facilmente por desconhecidos”, alerta Altenhofen.

Fonte: Terra
Anterior

Maltratar cães e gatos pode dar cadeia

Próxima

Mordomias de pet shops incluem até banho de lama e tingimento de pelos

  • suely bischoff machado de oliv

    Olá.Bom dia.É inadmissível o que ocorre no universo das drogas,não é?Até peludos usados como moeda de pagamento.Um absurdo, pois envolve animais indefesos e seus donos reféns do roubo.Parabéns à voluntária da APA de Botucatu, Maria Cecília Altenhofen que resgatou o peludo.
    Isto serve de alerta para os donos ficarem mais espertos de onde deixam seus pets,no jardim,sem vigilancia de um humano,etc…
    Desejo que este quadro possa mudar com mais policiamento nas ruas e avenidas das cidades.