0
Shares
Pinterest Google+

A bucal dos bichinhos deve ser cuidada com mais por seus donos

Os donos de cãezinhos de estimação se preocupam muito com a saúde de seus amiguinhos, , , diários. Mas, sabia que uma medida importantíssima para aumentar o tempo e melhorar a de vida dos cães é a saúde bucal?

Engana-se aquele que não se importa com isso e acha que a falta de saúde bucal pode ocasionar somente amolecimento ou perda dos , mau e .

Aí quando o cão envelhecer vão dizer: “tadinho é velhinho por isso tem tantos problemas”.

“Cães com gengivite grave, acúmulo de cálculo dentário () e periodontite certamente viverão menos porque desenvolverão crônicas”, explica o oncologista e nutrólogo Luciano Pasin.

No Brasil cerca de 75% dos caninos entre 4 e 8 anos de idade são portadores de doença periodontal. A existência de oral predispõe o cão à doenças sistêmicas graves que podem interferir na qualidade de vida do mesmo.

“Isso acontece porque o trauma oral provoca a introdução de bactéria e suas toxinas na corrente sanguínea no momento da alimentação. O lipopolissacarideo LPS e outras toxinas bacterianas presentes na placa bacteriana tem acesso aos tecidos gengivais e desencadeiam eventos imuno-inflamatórios resultando em produção de altos níveis de citocinas pro-inflamatórias inflamando o organismo”, ressalta o especialista.

A quantidade de bactérias que penetram na corrente sanguínea provavelmente depende da quantidade de placa bacteriana, que está aumentada nos casos de gengivite severa e periodontite. Portanto, bactérias da placa podem ser desencadeadoras de doenças no fígado, rins, coração, articulação e até câncer.

Para evitar o acúmulo de tártaro nos bichinhos, é necessário o acompanhamento com um profissional da área, ele saberá indicar como cuidar do caso da melhor forma possível.

Anterior

Merial alerta para prevenção do “Verme do Coração”, doença comum nesta época do ano

Próxima

Como aproximar cães e gatos