0
Shares
Pinterest Google+

e gato não combinam. Não é

O felino fica irritado só de passar perto de uma torneira. Mas não é só a que deixa o animal estressado. Viagens, mudança de móveis, muita gente, , barulho, mudança de alimentação, cães, ambiente diferente do seu habitat, doenças, nova pessoa ou animal em casa são algumas outras razões para tirá-lo do sério.

Com a ideia de promover o bem-estar dos bichanos, o mercado desenvolveu um produto que lembra o odor da substância química secretada pelos felinos e que ajuda a mantê-los mais tranquilos: o artificial.

Normalmente, o feromônio desenvolvido pela indústria pet é indicado para distúrbios físicos e comportamentais do animal. A substância sintética não causa em seres humanos.

De acordo com a veterinária Carmem Cecília Peres Xavier Pinto, a substância diminui os sintomas de inflamações na bexiga, vômito e falta de apetite.

— Nós usamos o feromônio como tratamento e como preparação para cirurgias, por exemplo — explica.

petrede-gato-tomando-banhoInclusive quando os donos internam os gatos na enfermaria de clínica veterinária, ela aconselha espirrar ou colocar na parede o difusor com a substância para diminuir o estresse dos bichanos. Com isso, segundo Carmem, os animais brincam, se alimentam e ficam tranquilos até retornarem ao seu ambiente natural.

Para identificar o estresse em gatos, é necessário observar se o animal se alimenta mal, urina em locais estranhos, foge, deixa de brincar ou demonstra atitudes agressivas.

— Cada animal tem uma característica específica, um padrão — explica a veterinária.

Caso ele esteja com comportamento diverso do comum, pode ser o indício de alguma doença ou estresse.

— Se o felino deixa de comer, pode sofrer uma lesão hepática (excesso de gordura no fígado) — exemplifica.

Gato estressado, acrescenta, para de beber água e, com isso, há acúmulo de cristal na urina, o que pode causar obstrução.

Não há risco de a substância agredir o animal.

— Não é necessário forçar o gato a se alimentar ou a tomar remédio — diz a veterinária.

Ela alerta, porém, que não se trata de um medicamento para curar doenças:

— A substância ajuda no comportamento, mas ainda é necessário descobrir a causa do incômodo no animal.

Quanto aos resultados, os efeitos podem ser percebidos em alguns animais imediatamente depois da primeira aplicação.

— Depende do animal. Mas, em geral, algumas horas após colocar ou espirrar o feromônio o gato já está tranquilo. Em felinos mais estressados e resistentes, o efeito pode ser observado em até um mês — diz Carmem, que usa a substância para acalmar os gatinhos que moram em sua clínica.

Agradecimento: Caso do Gato

Sem estresse – Veja algumas dicas para evitar que seu bichano fique estressado:

* Evite o contato de gatos com cães.

* O gato é um bicho que faz a própria higiene, mas, caso queira dar banho, leve-o em pets especializados em felino.“Para o transporte até o local do banho, espirre feromônio na gaiola alguns minutos antes de colocar o animal”, indica a veterinária Carmem Cecília Peres Xavier Pinto.

* Em mudanças de móveis na casa, é bom preparar o ambiente com novo layout. “Tem que fazer o animal se ambientar à nova mudança”, explica a profissional.

* A viagem do proprietário também estressa o gato. “Nesse caso, procure alguém que possa aplicar o feromônio durante o tempo em que estiver fora.”

* A marcação urinária é um comportamento natural dos gatos, tanto em machos quanto em fêmeas. Um gato não marca com urina locais previamente demarcados com feromônio facial. “Se o gato urina em lugares diferentes, é sinal de que está incomodado com alguma mudança. É bom investigar a causa do estresse”, alerta Carmem.

Anterior

O porquinho-da-índia é parente do porco?

Próxima

Oferecer alimentos industrializados aos pets exige cuidado