0
Shares
Pinterest Google+

– O aparecimento de mais um gato na rua Vicente Augusto de Mello, Jardim Damasco, zona sul, virou caso de polícia ontem. A professora Roseni Aparecida dos Santos esteve pela manhã registrando boletim de ocorrência após encontrar seu animal de estimação sem vida na calçada de sua residência supostamente .

É o terceiro gato da professora – que tem outros onze – que aparece morto desde o início do ano. Ela relata que outros 12 foram encontrados na mesma situação desde janeiro, na mesma rua, e suspeita que algum morador das proximidades estaria envenenando os animais.

“É um contra os animais e uma afronta a minha pessoa, pois não era um gato de rua. Vou levar o corpo para perícia e ver se foi mesmo envenenado”, fala. “Infelizmente esse tipo de caso é muito comum e precisa sempre ser denunciado”, diz Elizabeth Carvalho, presidente da Upam (União Protetora dos Animais de Marília).

O caso foi encaminhado para averiguação do 2º Distrito Policial. O artigo 32 da lei federal 9.605/98 prevê de três meses a um ano de , além de , para quem praticar , ferir, matar ou mutilar qualquer tipo de animal.

Fonte: Diário de Marília
Anterior

Governo quer menos testes de produtos com animais

Próxima

Queimadas colocam em risco vida de animais silvestres brasileiros