0
Shares
Pinterest Google+

A de gatos, aliada à de dengue, coloca a direção da de Rio Preto e uma de animais em conflito. Há quatro anos, a Proambi (Protetores do Amigo Bicho) cuida de animais no campus, oferecendo como forma de aproximação para castrá-los e encaminhá-los à . Hoje, cerca de 120 vivem no local e pelo menos 600 já passaram pela .

Entretanto, a acaba de publicar um que autoriza a zeladoria a fazer mutirões para retirar e recipientes com água. “Não somos a favor de . Mas já perdemos o dessa e tivemos registros recentes de criadouros de Aedes aegypti em pratinhos”, diz o diretor em do campus, Vanildo Luiz Del Bianchi.

da temem que haja . “Na semana passada fizemos um boletim de ocorrência de um gato morto”, diz a professora Marlei de Freitas Périco, 48, da entidade. Vanildo comprometeu-se a marcar uma reunião para discutir o caso com a ONG.

Fonte: Rede Bom Dia

Comentários

Previous post

São Paulo prepara campanha para vacinar 7 milhões de animais

Next post

Número de pet shops triplica em dez anos em Florianópolis