0
Shares
Pinterest Google+

Com nome estranho e conhecida como a do gato, a , se não diagnosticada durante a , pode acarretar grandes danos à do feto.

Mas calma, não há motivos para desespero. A realização de um exame específico de sangue ao longo do pré-natal pode diagnosticar a doença e evitar quaisquer danos à mãe e ao bebê. “A doença é tratável, o importante é a nas mulheres que são suscetíveis.

Mas caso ela seja infectada, é possível evitar uma repercussão grave na criança com antibióticos que curam ou atenuam a doença”, comenta o ginecologista e especialista em medicina fetal, o Dr. Adolfo Liao, do Hospital São Luiz.

Transmitida de maneira congênita, ou seja, de mãe para filho durante a , a toxoplasmose transporta o parasita Toxoplasma gondii ao feto por meio do sangue, que pode gerar não apenas deformações ao bebê, mas outras complicações durante a gestação, levando até ao nos casos mais extremos. “A doença pode causar na criança desde seqüelas leves como uma inflamação na retina até o comprometimento neurológico”, o Dr. Adolfo Liao.

gato-olhar-petrede

Contraída também por meio das dos gatos, a toxoplasmose hospeda nos animais o parasita que provoca a infecção e potenciais transmissores da doença. Contudo, se bem cuidados, e com uma boa alimentação e higiene adequada, os bichos não representam risco algum. Outra forma de transmissão é a ingestão de carne crua ou mal cozida. Verduras cruas e frutas e verduras mal lavadas também não são recomendadas.

Cuidados especiais
Apenas as mulheres que já tiveram a doença estão imunes. Assim, o risco está naquelas que nunca foram infectadas. Como os são quase imperceptíveis, a doença pode passar despercebida. Por isso alguns cuidados são imprescindíveis para o combate da toxoplasmose, como lavar bem as frutas e as verduras; cozinhar muito bem os legumes; não comer carne mal passada; lavar as mãos antes da alimentação; evitar alimentos crus como comida japonesa, pois o processo de cozimento é que mata os germes; e ter cuidado com as fezes de gatos, limpando sempre o local onde o animal evacua, além de levá-lo ao veterinário para a realização de exames que possam diagnosticar o parasita.

Embora os danos que a toxoplasmose pode causar ao feto sejam graves, medidas preventivas devem ser tomadas a fim de evitar que a infecção ocorra. Importante também é saber que a doença tem cura e basta o acompanhamento de um especialista para manter a saúde da mãe e do bebê sob controle (com saudeempautaonline).

Anterior

Donos falam das vantagens de levar ou não os pets para viajar

Próxima

Cães e gatos devem manter visitas a veterinários

  • Por favor, alterem a foto do gatinho para tratar do assunto Toxoplasmose. Nós protetores cansamos de falar e discutir que o pobre do gato não é responsável exclusivo por essa doença. Vocês como profissionais da área sabem que a Toxoplasmose não é transmitida somente pelo gato e na grande maioria das vezes. Sou mãe e estive grávida há pouco tempo, tenho 5 gatos fora aqueles que já viraram estrelinhas e não tenho a doença.
    Obrigada!

    • Lisete

      Falou pouco mais disse tudo Karina, parabéns…