Vida urbana e aumento da classe C podem influenciar em alta da população de gatos

O número de gatos aumentou 13,3% no país em 2009, em relação a 2008, segundo dados da Anfalpet (Associação Nacional dos Fabricantes de Produtos para Animais de Estimação). Já a população de cães cresceu 6,4% no mesmo período.

Pesquisa da Comissão de Animais de Companhia do Sindan (Sindicato da Indústria de Produtos para Saúde Animal) aponta que 50% dos gatos vivem na classe C.

As explicações para o “boom” da população felina podem estar ligadas ao aumento da renda, marcado pelo fortalecimento da classe C, e o fato de a população brasileira estar mais concentrada nas cidades o estilo de vida urbano.

“Os gatos precisam de menos tempo e dedicação. Como em uma família de classe C todos trabalham, moram longe e passam pouco tempo em casa, os gatos se encaixam mais”, afirma Luiz Luccas, presidente da comissão.

Além disso, diz ele, há uma percepção de que o custo de criar um gato é menor do que o de cachorro:”Gato não precisa tomar banho toda semana.”

Praticidade felina
A veterinária Luciana Deschamps viu na paixão pelos gatos uma oportunidade de negócios. É proprietária do primeiro pet shop do Brasil exclusivo para gatos.
Além de espaço para banhos, que para os gatos são recomendados a cada dois ou três meses, o “cat shop” de Luciana tem uma clínica veterinária, hotel, área de lazer e loja de acessórios.

Luciana estima atender no Sr.Gato (zona oeste de São Paulo), 150 animais por mês apenas na parte médica.

A falta de tempo e de espaço nas grandes cidades estimula a população de gatos, que apresentam uma taxa de crescimento superior à de cães o animal doméstico preferido dos brasileiros.

Você pode gostar...