0
Shares
Pinterest Google+

A de , através da Diretoria de Bem-Estar Animal (Dibea), está lançando mão das redes sociais para realizar a campanha “ um Amigo”, de à de cães e gatos.

Neste sentido, colocou no uma fan page (www.facebook.com/adoteumamigoflorianopolis) contendo fotos, nomes e especificações dos animais que estão à disposição na Dibea para ser adotados.

Quem levá-los para casa não precisará se preocupar com a primeira , ou em castrá-los, no caso de serem maiores de seis meses. Os animais passam por tais procedimentos e são vermifugados, e (no caso dos cães), antes de serem entregues aos “pais adotivos”.

Devido à microchipagem, aliás, terão direito a atendimento ambulatorial gratuito pela Prefeitura de Florianópolis enquanto viverem, independente da renda ou da cidade em que seu dono reside.

A iniciativa da Secretaria Municipal de Saúde, à qual a Dibea está vinculada, busca amenizar o problema de abandono de animais, considerado um caso de .

“Porque os animais acabam procriando nas ruas e tendo maior incidência de contaminação por vários tipos de (doenças e infecções que podem ser transmitidas ao homem), sem contar com os envolvimentos em brigas e em acidentes, como atropelamentos”, destaca o diretor da Dibea, João Eduardo Cavallazzi.

Atualmente, a Dibea dispõe de cerca de 55 cães e gatos – de idades, tamanhos, cores e, inclusive, temperamentos, variados – em suas dependências, com capacidade máxima para 80 animais. “Mas são todos dóceis”, tranquiliza Cavallazzi, uma vez que o órgão implantou, há sete anos, o projeto “Cão Terapia”, voltado a exercitar, distrair, socializar e, principalmente, preparar os animais resgatados pela Dibea para a adoção. Enquadram-se nesta situação inclusive aqueles que sofreram maus-tratos em seu lar anterior.

Vale destacar que para a adoção de cães e gatos é exigido o atendimento a uma série de critérios: os interessados devem ter idade mínima de 21 anos, apresentar RG e CPF e preencher termo de responsabilidade após entrevista.

Além disso, é recomendado a quem residir em apartamento e quiser levar um gato para casa que também tenha rede de proteção nas janelas e sacadas, se morar em andar alto.

Outras ações da Dibea
Outras ações vêm sendo desenvolvidas pela Dibea com bastante êxito, desde o início da atual gestão, como é o caso da microchipagem e da de animais de estimação, ou seja, que têm proprietários.

Desde fevereiro de 2013, foram microchipados cerca de quatro mil cães do Sul e parte do Norte da Ilha, locais considerados de maior concentração de animais soltos pelas ruas. O procedimento também começou a ser realizado em cavalos há pouco menos de um mês, tendo beneficiado as comunidades do Saco dos Limões, Córrego Grande e Santa Mônica. Ao todo, 21 cavalos já foram microchipados e fotografados, para facilitar o reconhecimento do dono, em caso de perda do animal.

Em cães e cavalos, o procedimento de microchipagem é o mesmo, com a aplicação de microchip sob a pele do dorso. O microchip contém o prontuário médico-veterinário do animal, bem como os dados de identificação e localização de seu proprietário, de modo que sua colocação corresponde a uma ação de posse responsável.

Afinal, facilita a devolução dos cães e gatos, em caso de perda ou fuga, e ainda evidencia quem são seus donos, diante de situações de abandono, o que é proibido pela lei municipal nº 94/2001, entre outras.

Quanto à castração, já foram submetidos a cirurgia pela Dibea aproximadamente 6.400 cães e gatos, de abril de 2013 até hoje, média de 100 animais por semana. São priorizados os bichos que têm proprietários, porque, após o procedimento cirúrgico, eles precisam ser observados por um responsável por um período de sete dias.

E não seria possível recolher os bichos de rua para fins de castração para soltá-los em seguida, sem os devidos cuidados, nem tampouco mantê-los sob a atenção do setor público.

Para um cidadão ter acesso tanto à microchipagem quanto à castração de seu animal de estimação, é necessário apresentar carteira de identidade (e será cadastrado como o proprietário do bicho), comprovante de residência em Florianópolis e comprovante de renda familiar de até dois salários mínimos brutos.

Anterior

Veja quais cuidados ter com bichos de estimação para não transmitirem doenças

Próxima

Cachorro rouba brinquedo de bebê, se arrepende e pede desculpas. Descubra como!