0
Shares
Pinterest Google+

gato_comidaOs gatos têm por natureza o de se alimentar diversas vezes ao dia, independente da faixa etária. No entanto, a maioria dos donos não consegue fornecer várias refeições, por questões de rotina e tempo. O problema é que dar apenas uma ou duas grandes porções diárias prejudicam o metabolismo do bichano e o deixam mais predisposto aos cálculos urinários, segundo a médica veterinária Keila Regina de Godoy, da .

Ela indica deixar a à vontade, para que o próprio gato regule o intervalo entre as refeições. “Mas nunca se deve deixar disponível uma quantidade total diária maior do que a recomendada pelo fabricante”, orienta. Além disso, a dica é evitar os petiscos, pois podem prejudicar o balanceamento nutricional, diminuindo ou anulando o efeito sobre a dos cálculos urinários. Sem contar que podem levar à , especialmente no caso dos felinos castrados e sedentários.

E quem pensa que dar leite ao bichano é normal, está muito enganado. “Ao longo da infância, à medida que vão se tornando adultos, os gatos vão perdendo a capacidade de digerir o leite e ficam propensos à flatulência e diarreias, já que o leite não digerido pode fermentar e trazer as desordens intestinais”, explica a veterinária.

Geralmente, gatos possuem um bom autocontrole da ingestão alimentar quando estão em um ambiente saudável, com atividade física e acesso à área exterior. No entanto, os castrados, pela maior ociosidade, tendem a encontrar na comida uma nova fonte de distração e prazer, aumentando seu consumo. Consequentemente, apresentam maior incidência de obesidade, o que indica a importância de um maior cuidado alimentar. O persa é um exemplo de raça predisposta à obesidade.

A veterinária alerta ainda sobre a falta de apetite: nenhum gato pode ficar mais de 48 horas em jejum, pois iniciam um processo de degeneração hepática que pode levar a morte. Gatos, diferentemente dos cães, são extremamente seletivos e quando não gostam de um alimento novo, mesmo penalizados pelo jejum forçado, não o comem. Assim, se em 24 horas um gato não aceitar um novo alimento, não se deve forçar, mas procurar outra alternativa também de boa qualidade.

Quando o caso for de falta de apetite ou anorexia por doença, é imprescindível que a partir de 48 horas de jejum total se procure métodos de alimentação forçada como a alimentação via sonda, que é altamente eficaz e pode facilmente ser feitos por um veterinário experiente sem do animal.

Sobre a PremieR pet
Pioneira na fabricação de alimentos Super Premium para cães e gatos no Brasil, a PremieR pet tem uma das mais modernas fábricas da América Latina, localizada no município de Dourado, Estado de São Paulo. Detentora da certificação ISO 9001:2008, possui formulação fixa em todos os produtos comercializados, empregando sempre as melhores tecnologias na produção de alimentos de qualidade superior. Há quinze anos a empresa vem acompanhando os avanços nutricionais relativos ao segmento, o que resulta num alimento com ingredientes especiais para animais com diferentes estilos de vida. Os itens de sua linha são vendidos exclusivamente em canais especializados, como clínicas veterinárias, pet shops e casas agropecuárias. Mais informações pelo Pet Fone: 0800 55 6666 ou no site www.premierpet.com.br.

Anterior

Cães também terão ovos de Páscoa

Próxima

Vacinação canina e felina que previne contra doenças letais ainda geram dúvida entre os proprietários

  • suely bischoff machado de oliveira

    Olá.Bom dia!É isso aí, os felinos comem várias vezes ao dia………….Aqui na minha casa, de acordo com a minha rotina, costumo dar por volta de 4 refeições ao dia.Mas não deixo comida fermentando no prato, mesmo que seja ração com um pouquinho de água que eles apreciam.
    Sempre lavo a bandeja que sirvo para eles, a cada nova refeição que ofereço.
    Como são 9 no total,utilizo uma bandeja grande e confortável para todos se servirem à vontade.Gatos são muito exigentes com as vasilhas de água e a bandeijinha para a ração.abraços e miausssssssssssss