0
Shares
Pinterest Google+

Os produtos de e dominam as novidades do mercado pet, atualmente. As produzem, cada vez mais, artigos parecidos com os dos humanos. Os animais de estimação contam hoje com shampoos, condicionadores e hidratantes, além de produtos específicos, como os tapetes higiênicos.

O tapete higiênico para animais é prático para quem mora em e não tem tempo para passear com o cachorro. Com este produto, o empresário Diego Botelho mira o público que busca facilidades.

“A grande maioria das pessoas hoje em dia que compram filhotes, são pessoas recém-casadas, que ficam o dia praticamente fora, não têm tempo para ficar passeando com o cachorro, então, colocam o tapete higiênico na casa para o animal fazer as necessidades”, diz Botelho.

O empresário montou a fábrica em março de 2012. Ele investiu R$ 450 mil em uma máquina que produz o tapete sozinha, sem a necessidade de mão de obra. A bobina de celulose é triturada e coberta com uma película de papel e outra de TNT.

O segredo do tapete está, principalmente, na etapa final de fabricação. Uma desenvolvida pela empresa é borrifada sobre o produto, em quantidade mínima, cerca de duas gotas por peça. Mas é uma química poderosa, que atrai o cachorro pelo cheiro, e o induz a fazer as necessidades só no tapete.

Os tapetes vêm com fita adesiva para grudar na parede, no caso dos machos. Eles são feitos em dois modelos. O pacote do tapete menor, com 52 unidades, custa R$ 52,90.

“É um mercado superpoderoso, que vem crescendo bastante, e consumindo muito tapete higiênico hoje em dia também”, comenta Botelho.

Menos de um ano depois de lançado, o produto deslanchou. A fábrica já vende 350 mil tapetes por mês, para pet shops em todo o Brasil. “Nossa expectativa para 2013 é ter um crescimento mínimo de 30%”, avalia o empresário.

Simone Cardoso tem quatro cachorros. O tapete higiênico eliminou a sujeira em casa. É só fixar o produto no chão, e depois recolher. “Melhorou porque agora eles só fazem no tapete. [A casa ficou] Bem melhor, o cheiro, né? Bem mais limpa!”, comenta.

animal
Num mercado em que animais são tratados como filhos, o segmento de estética tem se mostrado bastante lucrativo.

Desde 2005, os empresários Miguel Martins e o filho Bruno fabricam shampoos, condicionadores, hidratantes e outros embelezadores de animais. São mais de 100 itens. Tem shampoo com aroma de morango, de mashmallow, gel para escovar os dentes, perfumes, tinturas, cremes para desembaraçar e dar brilho ao pelo.

“É uma tendência do mercado pet em geral, é uma tendência sempre seguir o cosmético humano”, fala Bruno.

É preciso investir cerca de R$ 200 mil para começar nesse segmento, afirmam os empresários. Esse dinheiro é para comprar tanque e misturador para os produtos, e reformar o espaço. Aqui, quem desenvolve os produtos é Bruno, que é químico.

“A pele do cachorro é muito mais sensível que a nossa pele, então a gente tem que ter uma preparação do produto, um teste do produto muito mais elaborado do que até mesmo o cosmético humano”, explica o químico.

O mercado pet é grande, mas muito competitivo em qualidade e preço. Para economizar, a empresa produz parte da matéria-prima que usa. Outra foi a compra de uma máquina de R$ 80 mil, que embala os produtos com plástico – material que custa menos de 1/3 do valor das caixas de papelão.

“Na parte da logística, fica muito mais simples fazer o carregamento internamente ou por transportadoras que visualmente o produto já é auto-identificável, sem necessidade de etiqueta adicional de identificação”, diz Miguel.

A empresa fabrica 35 toneladas de produtos de higiene e beleza por mês. Vende para todo o Brasil e exporta para a África.

Em São Paulo, o pet shop de Marcelo Rollo é cliente da empresa de produtos de higiene animal há um ano. O setor de banho e tosa é um salão de beleza dentro do pet shop. No local, os animais tomam banho, secam os pelos, fazem máscaras de hidratação, cortam unhas, tosam os pelos, escovam os dentes e passam perfume. Depois, é só colocar o lacinho e pronto. O serviço completo de higiene e embelezamento custa, em média, R$ 75, por animal.

Hoje em dia, quase tudo o que se encontra num salão de beleza para mulheres tem também no setor de banhos de um pet shop. No estabelecimento de Marcelo, por exemplo, tem shampoo, condicionador, clareador, escurecedor, perfumes, creme de hidratação. Alguns animais passam cinco horas no local, só cuidando da higiene e beleza.

O serviço de higiene e beleza corresponde a 30% do faturamento do pet shop do empresário, mas representa muito mais. É ele que gera movimento em toda a loja.

“A pessoa que traz o cachorrinho para dar banho, ela acaba passando em consulta, acaba levando algum outro acessório da loja em geral. Então, além de ser um ponto lucrativo, ele agrega outros valores ao comércio”, comenta Rollo.

O pet shop atende 600 cães, por mês. “Hoje os cães fazem parte da família, dormem junto com os proprietários, então é bastante para que eles tenham hábitos de limpeza, de higiene.”

A procura pelos serviços do pet shop cresce, e a fábrica de cosméticos acompanha. Num país com mais de 50 milhões de cães e gatos, os empresários Miguel e Bruno projetam crescimento de mais de 10% ao ano.

“Nós estamos voltando nossa linha para a classe A, B, C e D, que é dominante no mercado, mas o mercado forte hoje pet é na classe C, que teve disparada bastante grande”, comenta Miguel.

CONTATOS:
PET CLEAN
Contato: Empresários Miguel Celso Silva Martins e Bruno Ribeiro Martins
Rua Alfredo Pujol, 1.650 – Santana
São Paulo/SP – CEP: 02017-004
Telefone: (11) 2976-9722
www.petclean.com.br

EXPET INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE TAPETES
Contato: Empresário Diego Mucci Botelho
Estrada de Bragança Paulista, 910 – Terra Preta
Mairiporã/SP – CEP: 07600-000
Telefone: (11) 4818-8492

PARADAS DOG
Contato: Empresário Marcel Mello
Rua Maria Curupaiti, 337 – Santana
São Paulo/SP – CEP: 02254-000
Telefone: (11) 2977-7191

Produtos de higiene e beleza dominam novidades do mercado pet foi modificado pela última vez: abril 13th, 2016 por Alexandre Domingues
Anterior

Teresina tem cemitério público para animais domésticos

Próxima

Gato viaja acidentalmente mais de 5 mil km escondido em mala