0
Shares
Pinterest Google+

Com a chegada do , as altas temperaturas também são sentidas pelos animais de estimação e podem até mesmo causar estresse nos bichinhos.

Por esse motivo, durante os meses de clima quente, é importante que o dono fique atento e tome alguns cuidados essenciais para deixar as férias de verão ainda mais divertidas e livres de preocupações.


Durante os meses de , a alimentação dos animais deve ser equilibrada. Uma dica é alimentar o animal mais vezes e em menor quantidade (ou seja, a quantidade diária recomendada de alimento em 3 ou 4 refeições por dia), sempre com produtos específicos para cães e gatos – nunca utilizar sobras de alimentos. Não deixe ração sobrando no comedouro, pois o alimento exposto por longo tempo facilita a fermentação, atraindo insetos que são mais comuns nessa época do ano. Além disso, deixe constantemente água fresca, trocando-a diariamente.


Em viagens de carro leve sempre um pote com água fresca e ao parar deixe o vidro aberto para que seu pet possa respirar ou então leve- o para uma rápida caminhada. Alguns animais têm enjôos, então evite alimentá-los quatro horas antes da viagem. Além disso, coloque seu bichinho em uma caixa apropriada, uma vez que o código nacional de trânsito proíbe a presença de animais soltos na frente do veículo.

No caso de avião, escolha voos fora do horário de pico – reduzindo o risco de atrasos – e ao chegar, pegue imediatamente seu animal de estimação. Em viagens internacionais, principalmente em países da Comunidade Européia, a documentação exigida para autorizar viagens de animais pode levar cerca de três meses para obtenção.

Alguns locais, como praias, balneários, também pedem cuidados especiais. Na praia, a água e a areia podem provocar de pele, nos olhos e nos ouvidos. Já na piscina, o excesso de cloro provoca irritação nos olhos do animal. No campo, algumas plantas podem causar irritação, intoxicação ou morte, quando ingeridas. Por isso é importante estar sempre de olho por onde anda seu pet em lugares desconhecidos.

Para os animais que ficarão em para pets, os donos devem conhecer o local previamente, observar a higienização do lugar e verificar se a vacinação de seu animal está atualizada.


Cães e gatos, assim como os seres humanos, também são vitimas de queimaduras solares, que podem levar à insolação. A dica é deixar seu animal sempre à sombra, com água potável e ventilação. Ao notar alguns sintomas como respiração ofegante, olhar fixo e ansioso, ausência de resposta a comandos, pele seca e um tanto quente, temperatura extremamente elevada, desidratação, batimento cardíaco rápido e desmaios, leve seu animal imediatamente a um veterinário.

Banho e Tosa
No verão não é preciso aumentar a freqüência de banhos em seu animal de estimação. O ideal é escovar diariamente o pet e, no máximo, dar banhos semanais. Já a tosa, ao invés de refrescar o seupet, aumenta o ganho de calor, uma vez que o pêlo curto permite que a radiação solar incida diretamente sobre a pele do animal.

Passeios
Durante o passeio, o horário deve ser levado em consideração. Prefira o período da manhã ou à noite em que a temperatura está mais fresca, pois o chão quente pode machucar as patinhas. A mesma regra deve ser levada em consideração na prática de exercícios. Sempre leve água junto e, caso tenha acabado de alimentá-lo, espere pelo menos uma hora para levar o animal para ou brincar.

e
O calor e a umidade criam o ambiente ideal para a reprodução de pulgas e carrapatos. Esses parasitas, que se reproduzem com maior frequência no verão, podem causar irritação na pele, escamação, entre outras enfermidades cutâneas. Os cães de pelos longos são mais suscetíveis à proliferação de pulgas e carrapatos. Neste caso, o mais indicado é dar banhos com produtos antipulgas e carrapaticidas de longa duração, há produtos que devem ser aplicados mensalmente, para verificar o melhor protocolo, consulte um veterinário. Outra dica para prevenir esse incômodo é manter o ambiente sempre limpo e lavar os cobertores, panos e as roupas dos animais com freqüência.

Doenças
Uma doença que merece atenção é a Dirofilariose, também conhecida como “verme do coração”- provocada por uma larva transmitida pela picada do mosquito, que se encontra em áreas úmidas próximas de rios, lagos e no litoral, e é muito frequente nesse época do ano e traz problemas cardíacos aos animais. Coleiras repelentes podem ser usadas nesses casos, pois reduzem a possibilidade do mosquito picar o cão ou gato.

Verminoses também são freqüentes nessa época do ano, por isso é importante estar atento a sinais como perda de peso e apatia, o ideal é se antecipar a esses problemas procurando um veterinário para que ele institua com ele um planejamento de vermifugação preventivo pelo menos a cada 6 meses para animais adultos, ou com maior frequencia em regiões com maior incidência de vermes e em filhotes

Antes de e ter seu pet preparado para passear com você e curtir o verão verifique se as vacinas, o planejamento de vermifugação e de de ectoparasitas (pulgas e carrapatos) estão em dia. Procure se antecipar e verificar quais documentos são necessários para os passeios (como carteira de vacinação, por exemplo). Usar uma coleira com uma placa de identificação pode ser útil também. Leve sempre o telefone de um médico veterinário que confia e nunca medique seu animal sem orientação. Assim você consegue curtir junto com seu pet as férias de verão de forma saudável e mais tranquila.

Anterior

Empreendedorismo animal

Próxima

Na companhia de animais, a cura para humanos