0
Shares
Pinterest Google+

Com olhar bondoso feito olhos de , eles parecem recém nascidos. São sociáveis e muito bem condicionados, sabem a hora de comer, seja com o criador ou direto nos cochos. Essas características retratam os que têm até um metro e quinze de altura, os que têm menos de 95 centímetros de altura e o forasteiro de linhagem americana com 79 centímetros. No , a variedade mais comum surgiu do de da e da .

O Seu Dorival Possari começou a por hobby. Onze anos se passaram e hoje existem 112 animais no rancho, em Limeira, interior de São Paulo. Para o criador, o negócio virou algo prazeroso e lucrativo: “Eu tinha uma venda mais regional, agora o Brasil todo passou a ver minha . Entre os principais estados que eu vendo estão Rio de Janeiro, Minas Gerais e Paraná”.

A Associação Brasileira de Mini Horses divide o mercado em três principais segmentos: o mercado de criadores que reúne os animais mais caros, o chamado mercado brinquedo que atende hotéis fazendas e também terapias alternativas tanto no tratamento de crianças quanto de adultos, e mais recentemente um setor vem despontando com bastante força, que é o chamado mercado pet. Os animais são considerados cavalos de jardim pelo tamanho e são vendidos como bichos de estimação.

Por serem animais rústicos, que vivem no pasto, os gastos são bem baixos comparados com os de um cachorro, por exemplo. Seu Dorival confirma que os gastos com um cachorro seriam mais caros e chegariam ao dobro do custo de um pônei: “O pônei gasta mais ou menos R$70,00 por mês entre feno, que seria o volumoso, e o concentrado, que seria uma ração. De resto é só escovar, agradar e se divertir com ele”, afirma. O investimento é diferente, mas o comportamento é semelhante. O pônei Coda foi domesticado e como um cão treinado obedece aos comandos do dono. Esta proximidade com o ser humano faz gente de todas as idades apreciarem os pequenos cavalos.

O mini haras, em Socorro, interior de São Paulo, recebe turistas de hotéis da cidade. Todos têm oportunidade de chegar bem perto dos animais soltos pelo piquete e as crianças podem montar. Mesmo bem menores que os cavalos, os pôneis suportam pesos de até 70 quilos. A idéia do mini haras foi do criador Ariodante Beneduzzi, ao perceber que este setor está aquecido: “Tem muita procura pelas escolas, parque de diversões, por pessoas que querem de algum modo companhia, então é um mercado muito crescente”. Há 25 anos no mercado, Beneduzzi tem 200 animais num espaço maior da propriedade.

Pôneis e mini horses são vendidos para todo o Brasil, países vizinhos e até Senegal, e por isso a reprodução é em grande escala para atender a demanda. Ariodante Beneduzzi estima que vai comercializar em torno de 300 animais por ano e o valor de cada animal pode ser alto: “Eles começam a partir de R$1.000 mil , mas um animal bom que esteja à disposição chega a custar entre R$5 e R$150 mil”.

O lucro é certo e o afeto também. Quem se aproxima se apaixona. Famílias que visitam a cidade de Socorro têm o mini haras como passagem obrigatória, consideram uma ótima opção para se divertirem.

Fonte: EPTV
Criação de mini animais ganha força no mercado pet foi modificado pela última vez: janeiro 17th, 2014 por Alexandre Domingues
Anterior

Vacinação canina e felina que previne contra doenças letais ainda geram dúvida entre os proprietários

Próxima

Castrações ilegais podem resultar na morte dos animais

  • Eu descobir essas lindas criaturinhas a poucos dias e fiquei perdidamente apaixonada, infelizmente moro em apartamento, se eu morasse em uma casa com um quintalzinho com certeza iria adiquirir um mini horse eles são extremamente docieis ,é realmente apaixonante ter um bichinho deste como um pet de estimação.