0
Shares
Pinterest Google+

Grilos, baratas e tenébrios produzidos em fazendas certificadas são fonte de e estimulam instinto de caça

O melhor amigo do homem não precisa ser necessariamente um gato ou cachorro. Bichos diferentes, como , , , , peixes e pássaros exóticos têm conquistado cada vez mais espaço nos lares brasileiros. E os donos garantem: são dóceis, fáceis de criar e merecem todos os mimos dispensados aos pets mais famosos, como a , por exemplo. Uma novidade que vai alegrar os criadores é que agora ficou mais fácil alimentar os bichinhos com vivos, para estimular o instinto de caça e garantir uma dieta saudável, rica em proteína.

A empresa Safari, especializada na criação de insetos, acaba de disponibilizar ao mercado PET diversas opções para alimentação de animais exóticos. São grilos, baratas e tenébrios, comercializados vivos nos pet shops, dentro de pequenas embalagens especiais, desenvolvidas para que garantam a possibilidade de consumo em até de 30 dias.  “Os insetos têm alto teor de proteína, ácidos graxos e minerais de alta digestibilidade. Além disso, fornecer alimento vivo aos animais estimula o contato com a natureza e diverte o bicho e o dono”, afirma Eduardo Matos, proprietário da Safari.

Todos os insetos da Safari são produzidos em uma fazenda localizada em Piracicaba, interior de São Paulo. A criação possui Título de Estabelecimento Relacionado, com aprovação do Ministério da Agricultura e responsável por assegurar a qualidade de produtos de origem animal comestíveis e não comestíveis destinados ao mercado interno e externo.

O “cardápio” oferecido pela Safari é composto por: grilo preto (Gryllus assimillis), tenébrio gigante Zophobas morio), tenébrio comum (Tenebrio molitor), barata cinérea (Nauphoeta cinérea) e barata blaberus (Blaberus giganteus). Em breve, a espécie barata madagascar (Gromphadorhina portentosa) também fará parte da produção que, hoje, já soma milhões de insetos.

De acordo com Matos, o sistema de produção é bem simples, mas há cuidados específicos para manter o ambiente sempre limpo e sem exposição a dejetos. “A alimentação dos insetos é preparada com farelo de trigo, milho, cevada e vegetais como legumes e folhas, de onde eles também retiram a água que necessitam. Os excrementos são retirados semanalmente de um reservatório no fundo de cada baia, onde caem por gravidade, mantendo o ambiente sempre limpo. Os insetos criados em cativeiro ficam guardados em ambiente controlado, a fim de evitar contaminação ou contato com espécimes de fora. São todos bem limpinhos”, explica.

SEGURANÇA ALIMENTAR

A FAO, Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura, publicou em 2015 um documento sobre “A Contribuição dos Insetos para a Segurança Alimentar, Subsistência e Meio Ambiente” (http://www.fao.org/3/d-i3264o.pdf), no qual informa que o aumento da população, urbanização e o crescimento da classe média têm elevado a demanda global por alimentos, especialmente as fontes proteicas animais. Segundo o estudo, por volta de 2030 teremos que alimentar nove bilhões de habitantes, juntamente com outros bilhões de animais criados anualmente para fins alimentícios, recreativos ou como estimação.

Uma das maneiras existentes para se resolver o problema de segurança alimentar seria a criação de insetos, pois eles se reproduzem rapidamente, têm altas taxas de crescimento e de conversão alimentar, além do mínimo impacto ambiental causado em todo seu ciclo de vida. São nutritivos, com alto teor de proteína, ácidos graxos e minerais. A cada 100g de alimento cru, a carne bovina apresenta 20,2g de proteína, ao passo que 100g de barata cinérea oferecem 60g e grilo preto 48g.

O estudo considera insetos criados sob supervisão e não aconselha a ingestão de insetos retirados diretamente da natureza, uma vez que estes podem estar sujeitos a contaminantes externos.

No Brasil, por enquanto, a produção de insetos é voltada somente à alimentação animal, pois ainda não há legislação específica para a produção e comercialização de insetos alimentação humana. Embora a maneira de produção dos insetos siga as mesmas exigências sanitárias para animais e humanos, é necessário um selo SIF/ER específico para cada criadouro.

 

Informações Nutricionais

Porque comer insetos é saudável?

Insetos contêm nutrientes essenciais a vida da ave, e de uma forma facilmente absorvível pelo organismo.

Animais com uma saúde nutricional adequada são mais ativos, e apresentam menor suscetibilidade ao desenvolvimento de doenças comparado a aqueles desnutridos. Enfim, alimento saudável viabilizando um corpo saudável, sendo a primeira linha de defesa contra doenças.

Todo inseto possui a mesma composição nutricional?

Não. A composição nutricional dos insetos varia significativamente, conforme a espécie, o tipo de alimento que recebeu durante o desenvolvimento e o estágio de vida (ovo, larva, ninfa, pupa e adulto).

Tabelas de análise nutricional (Insetos Comestíveis Vivos) 

 

Umidade
(%)
Proteína
bruta (%)
Extrato
etéreo (%)
Fibras
(%)
Cinzas
(%)
Cálcio
(%)
Fósforo
(%)
Tenébrio Comum 59,14 18,72 20,08 7,61 1,03 0,05 0,28
Tenébrio Gigante 62,26 17,24 15,23 7,42 1,04 0,07 0,21
Grilo Preto 68,06 16,47 9,65 10,59 1,42 0,15 0,23
Barata Cinérea 68,42 20,17 10,60 15,58 1,40 0,14 0,25
Mosca Doméstica 75,26 13,92 5,12 8,61 1,08 0,09 0,24

 

Tabela de Análise Nutricional (Insetos Comestíveis Desidratados)

 

Umidade (%) Proteína
bruta (%)
Extrato
etéreo (%)
Fibras
(%)
Cinzas
(%)
Cálcio
(%)
Fósforo
(%)
Tenébrio Comum 3,71 47,41 35,83 6,45 3,20 0,07 0,52
Tenébrio Gigante 1,94 44,03 40,32 8,00 3,21 0,12 0,53
Grilo Preto 7,22 48,76 31,50 7,99 4,43 0,19 0,66
Barata Cinérea 6,07 60,39 21,48 6,92 5,16 0,13 0,56
Mosca Doméstica 6,82 50,25 31,78 6,93 4,65 0,39 1,05

Qual a melhor fase dos insetos para consumo?

A fase larval é a mais indicada para consumo, no caso de insetos de metamorfose completa (ovo-larva-pupa-adulto) como o Tenébrio gigante, Tenébrio comum e Mosca. No caso de insetos com metamorfose incompleta (ovo-ninfa-adulto) como o grilo preto e a barata, a fase de ninfa apresenta maior digestibilidade e menor nível de quitina.

Como fornecer insetos?

Insetos comestíveis podem ser fornecidos vivos ou desidratados. Na forma desidratada podem ser oferecidos inteiros, fragmentados, moídos ou reidratados, conforme as preferências e hábito alimentar.

É importante lembrar que esse alimento deverá ser incorporado a dieta, ou seja, deve ser consumido junto com os demais ingredientes.

Não é recomendável deixar insetos para consumo ad libitum, pois o consume exagerado pode provocar impactação.

Não permita que o pássaro faça ingestão de insetos grande e pontiagudos, que possam causar danos. O tamanho do inseto deve ser proporcional a capacidade de apreensão de deglutição da ave.

O processo de desidratação altera o valor nutricional do inseto?

Desidratação é a tecnologia de secagem que constitui na remoção da água através de sua evaporação, pela passagem do ar quente e seco sob pressão atmosférica.

Este processo garante a estabilidade microbiológica, facilita o armazenamento e permite o transporte do produto sob temperatura ambiente.

Devido ao aquecimento ocorre uma pequena perda de vitaminas e proteínas durante a desidratação. Por outro lado, o aquecimento também disponibiliza proteínas e vitaminas entre outros nutrientes, sendo uma das formas mais eficientes de se conservar alimentos de origem animal sem a adição de conservantes.

Quanto de inseto desidratado devo incluir na dieta?

De forma geral recomenda-se a inclusão de 5-10% de insetos desidratados para complementação da dieta de aves. Na época de reprodução até 15% desse alimento.

Porém, esse limite de inclusão esta intimamente relacionado ao habito alimentar da ave, e modificações deverão ser realizadas considerando esse fator.

Curiosidades

– O grilo vive 4 meses e produz 250 filhotes nesse período

– A barata é o inseto que mais tem proteína (cerca de 60%) e produz 200 filhotes a cada seis meses

– Na natureza poucos são os pássaros que se alimentam de insetos. Entretanto, principalmente em época de reprodução, 60% da alimentação do pássaro é de insetos. As propriedades nutricionais dos insetos são muito importantes para estimular a reprodução dos pássaros.

– O mercado de insetos para alimentação de animais é atraente pois o rendimento é de 100% como matéria prima para ração, por exemplo. Já para a comercialização de insetos vivos, há uma perda irrisória, previamente calculada.

Anterior

Castração: prós, contras e mitos

Próxima

Vacinação é a melhor forma de prevenir a hepatite em cães