0
Shares
Pinterest Google+

Um ambiente livre de pragas urbanas é o segredo para uma boa saúde dos pets

Quem tem cães e gatos como bichinhos de estimação sabe que é quase impossível evitar que eles tenham contato com jardim de casas e áreas comuns de . Mas esta integração com a , ainda que , pode esconder para os animaizinhos. Muitas que podem ser transmitidas entre animais vertebrados e humanos – são originárias de insetos e roedores que circulam pelas residências urbanas.

A Canina é um exemplo clássico disso. Doença com alto risco para os seres humanos, ela é transmitida pela urina do rato contaminado por uma que, em contato com lesões da pele ou mucosas dos animais domésticos, se hospeda na corrente sanguínea do pet e pode ser fatal. A veterinária e professora titular da Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Ana Paula Sarraff, explica que, mesmo com a vacinação frequente de cães e gatos, há alguns tipos da doença que não são contempladas na vacina anual. “Ainda é muito grande a incidência da doença canina e felina por dois principais motivos: a contaminação acontece rapidamente e ainda há muitos ratos nas grandes cidades. Sempre digo que quando um cidadão vê um rato durante o dia perto de sua casa, quer dizer que há colônias inteiras esperando a noite para sair”, explica. “Por isso, é tão importante que os donos de cães e gatos não criem condições para que o rato chegue à sua casa. Comidas e água disponíveis e entulhos são os principais atrativos para o roedor”, complementa.

Outra conhecida infestação que acomete os pets é o . Da família dos ácaros, este parasita se alimenta do sangue dos animais de estimação, transmitindo principalmente duas doenças: erliquiose e babesiose. Ambas comprometem o sangue do animal de estimação, provocando fraqueza, anemia, febre e perda de apetite. “Hoje, contamos com uma boa quantidade de produtos preventores do no mercado, mas é sempre preciso ficar atento ao ambiente, pois se ele tiver infestado o tratamento não será eficaz”, enfatiza.

Muito presente nos jardins e quintais das casas, a lesma é mais uma transmissora de doenças para cães e gatos domésticos. O molusco, que se aloja em locais de grande umidade, tem reprodução rápida e, por isso, cria grandes colônias de infestação. Transmite, principalmente, vermes pulmonares que, se não tratados, podem causar tosse crônica e outras doenças.

A gerente de pesquisa e desenvolvimento da Dexter Latina, Francinea Souza, explica que, atualmente, existem no mercado produtos muito eficazes no combate às pragas urbanas. “São produtos de baixíssima toxicidade, sem cheiro e com formulação à base de água, que controlam baratas, carrapatos e outros insetos, por exemplo. No caso dos ratos, as iscas a base cereais são eficazes e hoje vêm com ingredientes amargantes, que inibem que os animais de estimação tenham interesse em consumir”, explica.

Anterior

Mercado pet cresce mais de 10% em 2016

Próxima

Do petisco ao prato principal: aprenda receitas saudáveis para o seu cão